quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Cristãos da Coreia do Norte não oram por liberdade, mas pelos ocidentais que têm fé no dinheiro

Os cristãos perseguidos na Coreia do Norte não estão orando por sua liberdade, mas sim por seus irmãos ocidentais | Foto: Kim Hong-Ji, Reuters
“Na Coreia do Norte não temos nem dinheiro, nem a liberdade, mas nós temos Cristo e Ele é suficiente”, disse um dos cristãos.
Os cristãos perseguidos na Coreia do Norte não estão orando por sua liberdade, mas sim por seus irmãos ocidentais que estão sendo tentados pelo dinheiro e pelas riquezas materiais. A surpreendente revelação foi feita pela organização missionária “Voz dos Mártires”.
De acordo com o Rev. Eric Foley, líder da organização na região sul do país, os cristãos na Coreia do Norte não oram por uma mudança de regime. “Eles não oram pela liberdade e por dinheiro. Eles oram por mais de Cristo e para que Ele seja espelhado em sua vida”, disse ele.
A organização ‘International Christian Concern’ ressalta que a vida para os cristãos na Coreia do Norte, onde a prática da religião é contra a lei, é pior do que muitos imaginam. Ainda assim, eles têm como prioridade interceder pelos ocidentais.
“Vocês oram por nós? Nós oramos por vocês. Vocês têm muito, vocês colocam sua fé no seu dinheiro e em sua liberdade. Na Coreia do Norte não temos nem dinheiro, nem a liberdade, mas nós temos Cristo e Ele é suficiente”, disse um dos cristãos.
Sob o governo de Kim Jong-un, líder supremo da Coreia do Norte, famílias cristãs inteiras têm sido punidas por suas crenças. Além disso, os cristãos vêm desmascarando a Ideologia Juche, também designada como marxismo-leninismo-kimilsunismo, que tem dirigido os destinos desse país.
“A razão pela qual a Coreia do Norte é tão ameaçada pelos cristãos, é que o cristianismo consegue desmascarar Juche como uma fraude. O cristianismo é considerado uma ideologia subversiva, porque oferece uma maneira diferente de pensar sobre os valores e a finalidade da vida humana”, explicou Foley.
O pastor observou que os cristãos ocidentais não devem necessariamente orar pela liberdade dos norte-coreanos, mas para que eles sejam fortalecidos em Cristo enquanto enfrentam a perseguição. “Eles veem que o dinheiro e a liberdade não podem trazer felicidade”, afirma.
“Há um só corpo em Cristo, não há uma ‘Igreja perseguida na Coreia do Norte’ e uma ‘Igreja livre na Austrália’, há um corpo”, acrescentou Foley. “Mas somos ordenados [pela Bíblia] a lembrar daqueles que estão na prisão, como se estivéssemos na prisão também”.
De acordo com a organização britânica Christian Solidarity Worldwide (CSW), em setembro, um grupo de cristãos foi esmagado por rolos compressores, enquanto outros foram pendurados em uma cruz em chamas. Esta é apenas uma pequena amostra das muitas brutalidades que os seguidores de Cristo enfrentam.
Suzanne Scholte, presidente da Coligação da Liberdade na Coréia do Norte e vice-presidente da Comissão dos Estados Unidos para os Direitos Humanos no país, disse ao site The Christian Post que o relatório da CSW é uma “representação precisa de como os cristãos são especialmente perseguidos”.
Com informações do Christian Post
Tradução: Guiame
Imagem: Reuters/Kim Hong-Ji
Via CCNews

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...