quinta-feira, 31 de julho de 2014

ANOTAÇÕES PARA PASTORES E PARA OVELHAS



Assistindo um documentário sobre as Guerras Mundiais, chamou-me atenção um comentário de Colin Powell (Chefe do Estado-Maior dos EUA durante a Operação Tempestade no Deserto em 1990/91):

"Um ditador começa a pensar que nunca está errado, porque ele se cerca apenas de pessoas que não têm coragem de lhe contrariar."

Essa frase encaixa-se bem no estado quase caótico de grande parte das denominações auto-proclamadas evangélicas no Brasil. É bastante comum pastores, bispos, ou ainda no seu estado mais egocêntrico, apóstolos, que creem estar sobre eles uma unção ou autoridade acima de todo questionamento ou reprovação, ainda que seja a própria Palavra que condene seus atos e caminhos.

O Bp. Walter McAlister (Ig. Cristã Nova Vida) utiliza uma frase bastante interessante em um vídeo (link) que fala sobre a autoridade do pastor: "O Senhor é meu pastor, mas nenhum pastor é meu senhor". Acontece que o estado de alienação no qual vivem grande parte dos religiosos que, não são apenas religiosos alienados, mas cidadãos alienados, eleitores alienados... é de que a autoridade espiritual que repousa sobre o ministério pastoral é uma autoridade absolutista, monárquica em alguns casos, e em sua maioria ditatorial.

Tenho uma boa compreensão que o questionamento à autoridade pastoral deve ser sempre feito com cuidado e não pode ser algo superficial em sua posições, já vi pastor ser criticado porque suas decisões eram contrárias ao pensamento particular de A ou B. No entanto, o questionamento nunca pode ser tomado como algo proibido, pelo contrário, na própria Palavra em Atos 17.11, Paulo descreve o trabalho minucioso dos crentes de Beréia em analisar a Palavra de Deus para confirmar que aquilo que ele, o "famoso" apóstolo Paulo dizia, era realmente verdadeiro.

Acontece que esse tipo de atitude por um membro da igreja é visto por uma grande parte dos pastores como uma ação rebelde e de oposição, e seus inflamados sermões a respeito do tema, apenas desencorajam a igreja... o que fica muito mais fácil se seus membros são neófitos ou têm pouco ou nenhum conhecimento bíblico, ou ainda se este conhecimento resulta de um ensino errado.

Mas não foi essa a atitude do apóstolo Paulo. Diferente dos inseguros e carnais pastores que pilham igreja ao invés de pastoreá-las, Paulo considerou que os crentes de Beréia eram mais nobres que os crentes de Tessalônica, porque receberam a Palavra, mas não sem antes examinar a exatidão daquilo que Paulo pregava.

Se você aguentou ler meu texto até aqui tenho algumas sugestões, conselhos talvez... quem sabe você não tem argumentos concretos para confrontar ensinos que, apesar de seu pouco conhecimento teológico, sejam visivelmente contrários as doutrinas neo-testamentárias. Meu conselho é que você saia de onde está e procure um lugar onde:

Primeiro: um lugar onde os crentes são encorajados a lerem, estudarem e aprofundaram-se no conhecimento das Escrituras. O pastor de uma igreja com membros que conhecem a Palavra de Deus tem muito a colher porque muito plantou, um pastor de uma igreja com membros que não conhecem a Palavra de Deus, é apenas um bombeiro que recebe salários para apagar incêndios. 

Segundo: uma igreja onde ministérios são dados a pessoas capacitadas e não desocupadas. É comum pastores procurarem pessoas que têm "tempo" para igreja, mas não para a família, trabalho, etc. independente de seu tempo como cristão, conhecimento da Palavra ou capacidade para aquela obra. Abrindo muitas vezes mão de pessoas que dividem seu tempo entre atividades na igreja e na vida secular, ainda que estes, sejam visivelmente mais capacitados para a boa obra.

Terceiro: livre-se de qualquer "cobertura espiritual" proposta por líderes eclesiásticos. Sim, um pastor deve velar pela vida de suas ovelhas, mas não, ele não tem nenhum poder espiritual sobre você. Você não é FILHO de nenhum pastor, você é FILHO de DEUS, foi Ele quem abriu mão de Seu Único Filho para que você se tornasse também Filho Dele por adoção. O máximo que um pastor abre mão por você é de tempo, para talvez bajulá-lo e com isso prendê-lo.

Quarto: um lugar onde a benção e a revelação sejam exclusivamente aquelas alcançadas por Cristo na Cruz. Se você estiver satisfeito em Cristo por Sua obra na Cruz, será agradecido não apenas com um novo emprego ou CARRO, mas com o simples fato de que a Graça de Deus é renovada sobre você absolutamente todos os dias.

Daniel C. Cesar

Fonte:Pulpito Cristão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...