sexta-feira, 7 de novembro de 2014

"Pastor Metralhadora": Obra missionária e cinema (sem Oscar)


Em 1998, Sam chegou na aldeia de Yei, Sul do Sudão. A nação Africana estava no meio de sua Segunda Guerra do Sudão, e Sam, enviado pelo seu Pastor dos EUA, tinha reunido um grupo missionário para ajudar a reparar os danos nas cabanas durante o conflito. Durante esta tarefa Sam presenciou uma criança ser dilacerada ao meio por uma mina terrestre. Ele caiu de joelhos sobre o corpo da criança, e chorando, fez uma promessa a Deus de que faria tudo que fosse preciso para ajudar o povo do Sudão.

Uma mensagem de Deus

Sam voltou ao Sudão alguns meses depois trazendo uma clínica médica móvel. Para cumprir sua promessa ele se aventurou por todo o país, da cidade de Yei para as aldeias do leste de Boma. Ao passar pela aldeia de Nimule, na fronteira com Uganda, Deus lhe falou ao coração: “Eu quero que você construa um orfanato para minhas crianças. E eu quero que você construa esse orfanato aqui.”

Tornando a visão em realidade

As pessoas do local diziam que Sam era louco. Na época, o Exército de Resistência, uma milícia rebelde brutal que havia seqüestrado 30 mil crianças e matado centenas de milhares de moradores, estavam devastando a área. Mas Sam foi categórico: Deus me mandou construir o orfanato em Nimule e é exatamente aí que eu irei construí-lo. Sam retornou aos EUA, vendeu sua firma de construção e enviou todo o dinheiro para a África.

Lentamente, o orfanato começou a tomar forma. Durante o dia, Sam desmatava o terreno e construia as cabanas que abrigariam as crianças. Durante a noite, ele dormia debaixo de um mosquiteiro pendurado a uma árvore: Bíblia numa mão, e metralhadora AK47 na outra.

Enquanto isso, na Pensilvânia, a filha de Lynn e esposa Sam Paige travaram uma batalha própria. O carro da família foi tomado por falta de pagamento e um aviso para a toma de sua casa foi dado. Sam tinha dinheiro suficiente para, ou pagar a dívida hipotecária ou terminar o orfanato. Como o dinheiro não dava para pagar os dois Sam então enviou todo o dinheiro para o projeto do orfanato na África.

Com o orfanato terminado, Sam começou a liderar missões armadas para resgatar as crianças do LRA, o grupo que capturava crianças para usa-las como escravos e escravas sexuais. Sam libertava as crianças do cativeiro e as trazia para o orfanato. Não demorou muito para que sua fama corresse e os terroristas começaram a chamá-lo de “The Machine Gun Preacher” ou, o pastor metralhadora.

Sobrevivendo contra tudo

Passaram-se 13 anos o orfanato alimentou e abrigou mais de 1.000 crianças. Sam também construiu uma escola, um posto de saúde e uma escola de enfermagem. A missão de Sam resgata, alimenta, protege e evangeliza crianças no Sudão, Etiópia e Uganda. Aqui um video do Reverendo Sam no Sudão, na zona de guerra, se preparando para ir pregar:


A história  desse missionário em defesa das crianças do Sudão tornou-se em uma obra cinematográfica. O filme  ”Redenção” que estreou nos cinemas no final de 2011 tem comovido e de certa forma “perturbado” muitos cristãos no mundo. É sem dúvida uma história que denuncia o descaso pela obra missionária em alguns países ao mesmo tempo nos fazendo perceber que Deus continua a levantar  mártires dispostos a doar e perder a sua vida em prol do reino. Veja o trailer do filme:




Texto do postado por Wesley Moreira, via facebook, comentário e complemento, Púlpito Cristão.

Fonte: [ Púlpito Cristão ]

Comentário do Blog Bereianos:

Sem discorrer para a teologia, quero ser bem prático: No contexto de vida que o Pastor "metralhadora" vive naquele País, apoio totalmente a postura do mesmo. Afinal, são crianças que necessitam de ajuda urgente neste caso de vida ou morte. Não somente a oração é necessária, mas sim a ação, de acordo com a necessidade de sobrevivência daquele país em uma guerra terrível. Pouquíssimos cristãos se disponibilizariam de coração em arriscar a sua própria vida e conforto por essas vidas! E não é questão de pregar o evangelho apenas, mas sim de doar sua própria vida e correr constante risco de morte por vidas inocentes. Isto sim é um belo exemplo de amar ao próximo!

Eu assisti o filme e no final do mesmo o Pastor deixa uma mensagem que compartilho com todos:
"Se o seu filho ou então membro de sua família fosse raptado por um terrorista ou louco, e se eu dissesse que traria o seu filho para sua casa, seria importante como eu faria isso?" 
Soli Deo Gloria!

Ruy Marinho

Fonte:Bereianos
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...