sábado, 27 de junho de 2015

MORRE PASTOR NIVALDO FELIPE, EX DIRETOR DO COLÉGIO PRESBITERIANO XV

Foto: Facebook da família
Faleceu na da manhã de ontem no Hospital Santa Efigênia em Caruaru, o pastor e diretor do Colégio Presbiteriano XV de Novembro entre 1979 a 1991, Nivaldo Felipe. O corpo está sendo velado na Quarta Igreja Presbiteriana de Garanhuns, de onde sairá para o sepultamento às 10 horas da manhã de hoje, dia 27. A viúva Giselda e demais familiares a nossa solidariedade neste momento de dor. 

Fonte: Blog de Roberto Almeida

sexta-feira, 26 de junho de 2015

SUPREMA CORTE DOS ESTADOS UNIDOS APROVA O CASAMENTO GAY EM TODOS OS ESTADOS AMERICANOS


Por Rev. Leandro Lima

A suprema corte dos Estados Unidos acabou de aprovar o casamento de pessoas do mesmo sexo em todos os cinquenta estados americanos. A prática já era aceita na maioria dos estados, porém, treze estados (onde há mais evangélicos conservadores) ainda proibiam a prática. Agora, com a decisão da suprema corte, todos os cinquenta estados americanos são obrigados a aceitar o casamento de pessoas do mesmo sexo.

Essa sem dúvida é uma decisão emblemática, tratando-se do país mais “evangélico” do mundo. Se lembrarmos que há apenas dez anos, a grande maioria dos estados americanos repudiava o casamento de pessoas do mesmo sexo, a comemoração dos ativistas pró LGBT diante da suprema corte americana mostra que a virada de jogo foi mesmo surpreendente.
Meu ponto aqui não é tratar de “direitos civis”. É preciso reconhecer que, perante a Lei, todas as pessoas têm os mesmos direitos. E que, se alguém pretende “casar-se” com quem quer que seja, em tese, essa pessoa tem o "direito" de fazer isso, desde que não prejudique outra pessoa no caso. Ao mesmo tempo, e isso ainda parece ser realidade nos Estados Unidos, as pessoas e instituições religiosas que discordam continuam tendo o direito de discordar, e, provavelmente, as igrejas não serão obrigadas a realizarem esse tipo de casamento tão cedo.

Porém, o que me chama atenção nesse caso é justamente a rápida mudança no pensamento mundial acerca desse assunto, e a consolidação disso na maior democracia cristã do mundo. Quando a maioria da população em uma democracia é favorável a uma prática, a tendência é que essa prática venha a ser institucionalizada. Foi o caso aqui. E isso mostra que os poderosos ventos de mudança que começaram a soprar mais fortemente no mundo desde o final do século 20, com a queda do muro de Berlim por exemplo, estão se intensificando cada vez, removendo com facilidade marcos antigos, em prol de uma unificação do paganismo na terra. A era cristã está terminando. E, tudo isso parece ter sido minuciosamente planejado.

Talvez seja exatamente isso o que as pessoas estejam comemorando diante da suprema corte americana. Um cartaz no meio da multidão dizia: “a constituição é nosso escudo contra a Bíblia da intolerância e preconceito”. Esse é o ponto mais crucial me parece. Aqui está o verdadeiro motivo da disputa, o qual subjaz por detrás de todos os demais discursos.

Mas o que, como cristãos, podemos dizer disso tudo? Reclamar e exclamar horrorizados expressões como: “é o fim dos tempos”? Talvez seja mesmo, e nesse caso, não deveríamos estar horrorizados, mas com a certeza indirimível de que tudo está acontecendo como tinha que ser. Sim, a era cristã precisa terminar, pois se ela não terminar, Jesus não voltará. O Apóstolo Paulo disse que antes que Cristo volte “primeiro" precisa “vir" a apostasia (2Ts 2.3). E o próprio Cristo disse que os dias que antecederiam sua volta recapitulariam dois importantes momentos da história bíblica. Um dos exemplos evocados por Cristo foi justamente os “dias de Noé”, quando as pessoas “comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento” (Lc 17.26-27). Questões em relação ao casamento, portanto, estariam no centro da agenda do mundo mais uma vez, antes da volta de Cristo. Em Gênesis 6 temos a descrição de padrões de casamento inaceitáveis por Deus, e isso resultou diretamente no dilúvio. É interessante que o arco-íris que estaria nas nuvens como prova da aliança divina, agora esteja numa bandeira que contraria aquilo que o próprio Deus ordenou, porém institucionalizado na forma da lei. Mas, talvez isso faça Deus se lembrar mais uma vez… Mas, o segundo momento evocado por Cristo é ainda mais emblemático: "O mesmo aconteceu nos dias de Ló: comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; mas, no dia em que Ló saiu de Sodoma, choveu do céu fogo e enxofre e destruiu a todos. Assim será no dia em que o Filho do Homem se manifestar” (Lc 17.28-30). Em Sodoma e Gomorra, um dos maiores pecados, que resultou na destruição das cidades, foi o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo!

Tudo isso aponta para uma inquietante realidade e, ao final, para uma surpreendente esperança. Todas as ações malignas no mundo, e que estão a todo vapor como podemos ver, trabalhando para a implantação do paganismo como sistema, apesar disso, estão debaixo dos desígnios daquele que anunciou o fim desde o começo. Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito (Rm 8.28). Fica, entretanto, o alerta do Senhor: "Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo” (Mt 24.13).


***
Leandro Lima é escritor, teólogo e pastor presbiteriano.
Fonte:Púlpito Cristão

Nuvens escuras na vida cristã

0




A caminhada cristã não é fácil. É interessante que na medida em que os anos passam, vamos descobrindo que nem todas as coisas na vida são tão simples e divertidas como pensávamos quando éramos crianças. Na jornada cristã este movimento não é muito diferente. Nem tudo é doce e brilhante como aparenta e nem só de dias ensolarados se faz a vida. Mas nas adversidades (e diante das nuvens) podemos enxergar a graça de Deus e seu zelo, aprender muito com aquilo que se opõem e descobrir o que realmente tem – ou deveria ser reconhecido como tendo – valor para nossas vidas.


O livro de Atos dos Apóstolos apresenta diversos episódios cuja fé dos cristãos em geral e dos apóstolos em específico eram moldadas pelas adversidades. Neste estudo vamos nos ater ao relato de At 16.12-40. Paulo e Silas estavam em Missão conforme textos anteriores (junto com Lucas e Timóteo) e alguns fatos anteriores mostram conversões acontecendo, através da pregação do Evangelho e pela obra do Santo Espírito (At 16.13-15). Deus estava com seus servos assim como permanece com os Seus nos dias de hoje. Talvez para muitos a sequência de fatos que foram se desenrolando podem soar como injustas para quem estava tão somente fazendo a obra de Deus. Vejamos.

A falsa religião como fonte de lucro

Passando pela maravilhosa experiência de compartilhar o Evangelho e ver corações – como o de Lídia, v.14 – se prostrando ao Senhor, encontramos mais uma vez a forma impressionante como a religiosidade pode engordar os bolsos de líderes nefastos. Tal prática não nasceu ontem, ela está enraizada na humanidade como um culto paralelo cujo fim é a riqueza e o bem-estar momentâneo. Enquanto Paulo e Silas avançavam na pregação do Evangelho e na comunhão com os novos crentes, uma jovem possessa “que tinha um espírito adivinhador” os seguia gritando uma suposta glorificação ao nome de Deus (v.17), porém tal glória era falsa e tal jovem servia tão somente como fonte de lucro aos seus senhores. A jovem estava possessa por um espírito mau e era explorada por seus senhores.

Outras passagens nos mostram – ainda em Atos – a luta da Igreja contra estas investidas. Veja por exemplo Pedro contra Simão em At 8.14 e Paulo com Bar-Jesus em At 13.4. No caso de Simão, seu ato pecaminoso passou a nomear a prática de aferir lucro no comércio das coisas sagradas: “Simonia”. Pela narrativa da história da igreja encontra-se na obra “Apologia” de Justino Mártir – datada de 150 a.D. que posteriormente Simão passou a ser seguido por muitos e se autodenominava como “Manifestação do Deus Supremo”.

Segundo os versículos de At 16.16-19 diante de uma perturbação diária gerada pela jovem possessa, pois poderia com sua “glorificação” levar as pessoas a desacreditar o Evangelho, associando-o ao ocultismo [1], Paulo se aborreceu e ordenou que o espírito saísse da jovem, ao que pela ordem e sujeito ao nome de Jesus tal espírito foi expulso. Deus foi verdadeiramente glorificado, enquanto a fonte de lucro de homens perversos secou. Não houve júbilo a estes homens, mas tal decepção que denunciaram Paulo e Silas às autoridades, e em praça pública foram acusados e espancados sem chances de defesa.

Muitos de nós se indignariam diante de Deus com perguntas do tipo “Por que? Qual o motivo, oh Deus!”. Paulo e Silas estavam fazendo a obra de Deus e ainda assim foram injustamente condenados.

A Verdade não trouxe alegria aos ímpios. Muito tem a ensinar o texto de At 16.20-24. Por mais que a jovem estivesse livre, o que realmente interessava era o lucro perdido. Além disso, aprendemos que todo aquele que defende a fé cristã e está comprometido com o Evangelho deve estar atento, em alerta constante em relação às amizades falsas e interesseiras, pois para muitos a glorificação da jovem poderia inflar o ego do pregador quando na verdade visava desviar o culto. E ainda: estar preparado para ferrenha oposição e “revolta dos magistrados” que declaram guerra contra Paulo e Silas.

Paulo cura a menina; no entanto, o bem, em vez de trazer-lhe glória e gratidão, trouxe-lhe açoitamento e prisão. Há um dito popular que diz: ‘Não há mal que não traga algum bem’. Talvez também devêssemos dizer o oposto: ‘Não há bem que não traga algum mal’. Talvez isso seja um tanto exagerado, mas, com frequência, é verdade. Vivemos em um mundo caído que, por essa razão, é dominado pelas estruturas do pecado. Por isso, quando nos opomos ao pecado, estamos nos opondo aos interesses de alguém. Paulo cura a menina; mas ao fazer isso, ele prejudica os interesses econômicos dos donos dela, que, portanto, acusam-no e conseguem que seja açoitado e preso. [2]

Um costume maligno foi destronado e a fé dos servos de Deus estava posta a prova.

Um exemplo de como se portar diante da adversidade e o milagre da salvação

Não vamos nos ater a pensar no que a maioria faria diante de tudo que estava sobrevindo naquele momento de humilhação. Vamos focar nosso olhar para o exemplo de Paulo e Silas. Trancafiados injustamente, acoitados, pés presos ao tronco, entoavam louvor a Deus orando e cantando hinos. Deus respondeu rompendo as cadeias e colocando o injustiçado em liberdade.

Interessante que a resposta de Deus não era um fim em si própria, mas um meio de fazer um obra ainda maior e trazer glória ao nome dEle!

A liberdade que Deus proporcionou aos Seus servos foi o bálsamo em relação ao injusto castigo que lhes foi afligido sem a menor possibilidade de defesa.

Diante de tantos feitos maravilhosos e miraculosos, o maior dos milagres chega à casa do carcereiro. Aquele que estava outrora separado e apartado pode se achegar à graça salvadora de Jesus: “Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar?” pergunta este homem no verso 30. Perceba que somente àquele cujo Espírito de Deus colocou a consciência de perda e condenação pode clamar para ser salvo. Somente o perdido pode clamar pela salvação.

Naquela mesma noite não somente o carcereiro como todos os seus foram alcançados. Era Deus – ao Seu tempo – produzindo o bem das circunstâncias que apenas registravam o mal e a injustiça.

Não há nada de mágico neste contexto e neste versículo em específico (“Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa.” Atos 16:31) uma vez que a salvação de um indivíduo não depende da crença de outrem. Foi pela ação de Deus e pelo poder de Sua palavra que o Evangelho pregado alcançou morada e a contemplação da misericórdia divina.

Concluindo

Depois de toda a luta enfrentada, mesmo fazendo aquilo que estava certo e que era para Deus e Seu Reino, ainda que diante da injustiça dos homens, Paulo e Silas não esmoreceram na fé. Pelo contrário, houve ainda tempo de retornarem aos irmãos recém-convertidos e os encorajarem. Deus deu a estes homens a oportunidade de ver o fruto de seu trabalho:

Esta é nossa luta constante. Ainda que sob o céu nublado das adversidades é possível ver a graça de Deus presente, e ainda que tudo possa parecer desfavorável, o Senhor pode fazer daquilo que é mal, o bem. Confiança é algo que se constrói na certeza de estarmos com Deus em nosso dia-a-dia, e mesmo que tudo pareça difícil, sempre haverá oportunidade para consolar e encorajar o próximo, ainda que muitas adversidades nos possam parecer injustas.

Vamos prosseguir, sempre olhando para o Alvo!

________
NOTAS:
[1] STOTT, John R.W. A Mensagem de Atos. ABU Editora. São Paulo: 1994. p. 298
[2] GONZÁLEZ, Justo. Atos. Hagnos. São Paulo: 2011. p.232

***
Autor: 
João Rodrigo Weronka
Fonte: NAPEC

quinta-feira, 25 de junho de 2015

PRIMEIRO FIM DE SEMANA DO 'SÃO JOÃO 1:29' REGISTRA MAIS DE 1200 ABORDAGENS




O primeiro fim de semana do Projeto São João 1:29 foi coroado de êxito, com as graças de Deus. Com atividades concentradas no Parque do Povo, local da Festa de São João em Campina Grande (PB), os voluntários do projeto evangelístico realizaram um total de 1272 abordagens nos dois dias de trabalho.

A abordagem feita pelos mais de 100 voluntários é diferenciada, e não consiste apenas na entrega dos panfletos personalizados especialmente para o evento. Ao interagir com as pessoas, os participantes do projeto realizado pela VINACC iniciam um diálogo baseado na pergunta “Quem é este João?”, referindo-se ao personagem bíblico que dá nome à festa.

Diante do interesse do ouvinte, os voluntários prosseguem com a conversa, mostrando quem realmente foi João Batista e qual foi a sua mensagem. Por fim, é apresentada a necessidade de se conhecer a Deus através da Bíblia, da oração e da comunhão com uma igreja bíblica. Com isso, o objetivo dos organizadores é proporcionar uma explicação mais clara e detalhada do Evangelho, com vistas a um trabalho de discipulado no futuro.

O Projeto São João 1:29 continua amanhã, com evangelismo pessoal no Salão do Artesanato, Sítio São João, Praça da Bandeira e Terminal Rodoviário Argemiro de Figueiredo. O encerramento será no próximo sábado, dia 27.

***

CORDEL SOBRE A VIDA DE JOÃO BATISTA É DISTRIBUÍDO DURANTE O 'SÃO JOÃO 1:29'
























































































O Projeto São João 1:29, realizado pela VINACC, começou os seus trabalhos de evangelismo pessoal na última sexta-feira, dia 19, em Campina Grande (PB). Para as abordagens, os voluntários se utilizam de panfletos personalizados, elaborados em parceria com a AMME Evangelizar. Um desses materiais é um folheto de cordel, escrito pelo pastor Calvino Rocha, e que narra a trajetória de João Batista.



O folheto, intitulado “Quem é este João?”, questiona sobre os estereótipos criados a respeito de João Batista, e apresenta quem ele realmente foi, de acordo com as Escrituras – um servo de Deus, vocacionado para preparar o caminho da chegada do Salvador do mundo.

Confira o texto de “Quem é este João”!

Quero lhe pedir licença
E um pouco de pacença
Pra lhe contar uma história
Que se tornou até folclórica:
É a história de seu João
Que dá nome ao São João

Leia agora sem detença
E com muita pacença
O que eu vou lhe contar:
Estamos no maior São João
Mas não sabemos não
Quem é este tal João

Afinal, que João é esse
Que desperta o interesse
De gente de toda a parte?
Que ao som do bacamarte
Come milho e pipoca
Mariola e tapioca?

Por favor me arresponda
Quem é o João da festança
Que traz música e até dança
Para o meio do salão?
Quem é este que enche ruas
E mexe com a multidão?

Quem é este João cantado
E por muitos recitado
Que mexe com tanta gente
Que cantando o repente
Se emociona no salão
No pipoco de um rojão?

O João que dá nome à festa,
Que reúne a multidão
O João do nosso São João
Era um homem muito simples,
Que não aceitava louvação
Pois tinha outra vocação.

O João que todo povo canta,
O João da festa que encanta
Era filho de Isabel,
Que tinha um simples papel:
Anunciar e preparar o caminho
Daquele que desceu do céu.

O João que o povo canta
Não queria ser cantado,
Pois não era amostrado,
Mas veio apresentar
Aquele que podia salvar
O homem do seu pecado.

O João cantado na festa,
O João que dá nome à festa
Era um simples pregador.
Um pequeno anunciador
Que apontava para o Cristo,
Que redime o pecador.

Quando viu Jesus chegando
Ele foi logo anunciando:
Eis o Cordeiro de Deus
Que tira o pecado do mundo
E que com amor profundo
Lava o pecador imundo.

Você que com pacência
Descobriu quem é o João
Que dá nome a esta festa
Que todo mundo atesta
Ser o maior São João
Me arresponda sem detença.

Você sabe qual é a sentença
De quem não tem Jesus?
O Cristo que veio ao mundo
E que com amor profundo
Morreu na cruenta cruz?

Não despreze esta história
Pois ela não é folclórica
Aquele que não tem a Cristo
E despreza o seu amor
Está fatalmente perdido
E afastado do Senhor.

Entenda, ó meu amigo
Que Jesus não é inimigo
Antes, ele veio salvar
Lavar e perdoar
O perdido pecador
Por causa do seu amor.

***
Divulgado no site da VINACC

MALAFAIA DIZ À REVISTA VEJA: 'QUEM APOIA CASAMENTO GAY VAI CONTRA A CIVILIZAÇÃO' #VIDEO


A segunda parte da entrevista do pastor Silas Malafaia à revista Veja foi marcada pela abordagem de temas que são caros ao líder evangélico, e que na maioria das vezes gera grande polêmica: homossexualidade.

Malafaia voltou a falar sobre o boicote promovido por ele contra a marca de cosméticos O Boticário depois que a empresa veiculou um comercial alusivo ao Dia dos Namorados com casais hetero e homossexuais trocando presentes, e argumentou que a sociedade é hipócrita, pois os ativistas gays são o “grupo social que mais protesta contra produtos e empresas no mundo”.

Respondendo às acusações de homofobia, Malafaia disse que ia aproveitar que “a Veja é bem aberta” e falou, com bom humor, sobre a questão, dizendo que ouve muitas pessoas dizendo para ele parar de “cuidar do furisco” dos outros, mas que sua dedicação ao tema não se dá por esse motivo.

“Eu tenho pena do nosso povo. O que está por trás é uma ideologia. Não é o cara beijando… você sabia que escolas do Brasil inteiro estão cancelando a comemoração do Dia dos Pais e das Mães e botando o Dia do Cuidador? A maioria da sociedade é afrontada pela minoria”, afirmou o pastor, indignado, lembrando que 90% da população brasileira é cristã.

Destacando que o Brasil é uma democracia, Malafaia disse que tem garantido na lei sua liberdade de expressão: “Eu tenho direito de me posicionar contra qualquer coisa e contra qualquer um”, afirmou.

Quando Joice Hasselmann o questionou sobre questões mais liberais, o pastor reafirmou sua postura conservadora afirmando que o liberalismo representa uma ameaça ao futuro da sociedade: “Quem apoia liberação de drogas, aborto e casamento gay vai contra toda a ordem da civilização”, pontuou

Você pode assitir o primeiro vídeo AQUI.



***
Gospel Mais

MALAFAIA COMENTA ESCÂNDALOS DE CORRUPÇÃO E DIZ QUE LULA É “O MAIOR FARSANTE DO BRASIL” #VIDEO



O pastor Silas Malafaia concedeu uma entrevista à revista Veja e falou sobre diversas questões ligadas à sociedade brasileira, como o escândalo do petrolão, seus arrependimentos políticos, o projeto do Bolsa Família e religião.

Malafaia, em suas duras críticas aos governos petistas, disse que “presidir uma nação não é função para incompetentes”.

Sobre a postura adotada por Lula e Dilma Rousseff, o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo foi enfático ao dizer que não acredita na versão adotada por ambos de que não tinham conhecimento dos esquemas de corrupção mensalão e petrolão.
“Como é que esses caras fazem uma coisa dessas e querem dar atestado de idiota ao povo dizendo que não sabiam de nada? Como? Lula é um mandão do PT, como é que ele não sabe de nada? Como é que Zé Dirceu sabe, e ele não sabe? Isso é conversa pra boi dormir. Eu não sou boi”, disparou o pastor, fazendo referência ao mensalão, quando o ex-ministro foi condenado por corrupção.

“Quer dizer que Dilma era presidente do conselho da Petrobrás, roubaram R$ 1 bilhão em Pasadena [refinaria adquirida pela empresa nos Estados Unidos a um custo muito acima do preço de mercado] e ela também não sabe? E ainda teve a coragem de dizer que recebeu um relatório errado…”, disse o pastor, indignado.

O pastor Malafaia frisou que “está desconfiado que chegou a hora do basta” ao governo petista, deixando a entender que acredita na chance de haver um impeachment.

Questionado pela apresentadora Joice Hasselmann sobre quem seria Luís Inácio Lula da Silva, Malafaia o definiu como alguém

“Pouca gente sabe, mas em 2002, na primeira eleição dele, eu fui o evangélico que apareceu no programa eleitoral dando um voto de confiança a ele. Participei daquele “conselhão” (Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República), fui o representante evangélico. Ele é um cara muito inteligente, na minha visão. Ele conseguiu envolver as pessoas, inclusive eu acreditava que ele ia dar o melhor para o Brasil. Um operário, que veio de baixo, sei lá… Quando eu vi o que estava acontecendo, pedi minha exoneração do conselho. Hoje, quando eu olho, ele é o maior farsante do Brasil”, disse.

A jornalista usou o episódio recente em que Silas Malafaia sugeriu a Lula que Jesus cura da cachaça para perguntar se somente Jesus poderia dar um jeito na corrupção do Brasil. “O Evangelho tem uma coisa extraordinária: transforma o homem em uma nova criatura, um novo ser. Eu creio no poder do Evangelho que muda o homem para uma vida melhor. O Evangelho restaura o caráter da pessoa”, respondeu o pastor.

Malafaia afirmou também que “não vai descer anjo do céu pra votar”, e que portanto, é preciso mudar o país através do voto assumindo responsabilidades na hora da escolha. “Não deu certo? Então muda”, orientou o pastor.

Assista:


***

segunda-feira, 22 de junho de 2015

UMA CASA LIMPA E UMA VIDA DESPERDIÇADA



Por Tim Challies

Você provavelmente já ouviu o ditado: uma casa limpa é sinal de um vida desperdiçada. O que quer que essa frase signifique, ela expressa um pouco da frustração e do senso de futilidade da vida nesse mundo. Pensei nesse ditado quando me deparei com o provérbio “Não havendo bois, o celeiro fica limpo, mas pela força do boi há abundância de colheitas“ (Provérbios 14.4). Um pouco de pesquisa nos mostra que comentaristas se dividem quanto ao real sentido dessa frase, mas creio que há uma explicação que se sobrepõe às demais.

De acordo com essa explicação, o provérbio fala sobre a bagunça de uma vida bem vivida. Tremper Longman diz que a moral da história é que “uma vida produtiva é uma vida bagunçada”.

Eu amo produtividade. Quero dizer, eu amo produtividade quando bem definida – a administração eficaz de talentos, dons, tempo, energia e entusiasmo para o bem dos outros e para a glória de Deus. Por essa definição, cada um de nós, não importa a vocação, deve buscar a produtividade com todo o vigor que possuir. E quando o fazemos, é inevitável que acumulemos alguma bagunça. Somos incapazes de usar nosso tempo, atenção, dons, energia e entusiasmo em busca de objetivos nobres enquanto mantemos cada canto de nossa vida arrumadinho.

A mesa do pastor estará ocasionalmente amontoada de livros e papéis. A bancada do padeiro algumas vezes estará repleta de potes, pães, farinha e açúcar. As mãos do mecânico estarão sujas de graxa e sua loja precisará mais uma vez ser limpa. E o lar – o lar as vezes será bagunçado, desordenado e descaradamente embaraçoso.

Longman diz: “Desejamos uma vida pura e limpa, como o celeiro ideal seria. Entretanto, um celeiro limpo, por natureza, significa um celeiro vazio, já que a presença dos bois não faz do celeiro um lugar arrumado. Entretanto, sem bois não há produtividade”.

Podemos facilmente dizer que desejamos uma casa limpa e organizada, assim como o perfeito celeiro deveria ser. Entretanto, uma casa limpa, por natureza, pode significar uma casa vazia, já que as crianças, maridos, convidados e aqueles filhos do vizinho não podem estar na casa para que ela fique livre de bagunça. Entretanto, sem todas essas pessoas, não há produtividade – não a verdadeira, bíblica, produtividade: sem crianças para cuidar, sem amigos para aconselhar, sem hospitalidade para oferecer.

Como muito nessa vida, você não pode ter tudo. Você não pode ter perfeita ordem e produtividade. Não pode ter uma casa cheia, acolhedora e convidativa, não pode ter todas as crianças alimentadas e arrumadas e ter todas as louças limpas e meias lavadas ao mesmo tempo. Você simplesmente não pode. É claro que isso não é uma desculpa para a preguiça e a negligência. Mas você precisa entender o que Derek Kinder diz: “a organização pode chegar ao ponto da esterilidade. Esse provérbio é o fundamento para a prontidão em aceitar a agitação e para ter a arrumação da bagunça como o preço do crescimento”. Crescimento ou produtividade, conforme for o caso. Uma casa arrumada é a prova de uma vida desperdiçada? De forma alguma. Mas uma casa em plena ordem não é necessariamente evidência de uma vida bem vivida.

Se você faz o que Deus te ordena, confusões certamente aparecerão. Mas tenha bom ânimo: de acordo com o homem mais sábio que já viveu, essa bagunça não é sinal de uma vida desperdiçada, mas de uma vida produtiva.

***
Traduzido por Kimberly Anastacio no Reforma 21
Via Púlpito Cristão

1ª Semana Teológica de 2015 - JMC

.


Aconteceu nos dias 18 a 22 de maio, na Igreja Presbiteriana Ebenézer em São Paulo, a 1ª Semana Teológica de 2015 do Seminário Teológico Presbiteriano Rev. José Manoel da Conceição, com o tema "O Evangelho e a Transformação Integral". Confira todas as palestras ministradas:


Palestra 1: A Justiça Social à luz da Escritura Sagrada - Rev. Gildásio Reis.



Palestra 2: Introdução à Ética Social de João Calvino - Rev. Hermisten M.P. Costa.



Palestra 3: Calvino e a Responsabilidade Transformadora do Cristão e dos Governantes na Esfera da Política. - Pb. Solano Portela.



Palestra 4: Abraham Kuyper e a Transformação Social - Rev. Heber Campos Jr.



Palestra 5: A Teologia da Missão Integral: Uma Reflexão Crítica à Luz da Teologia Reformada - Rev. Filipe Fontes.


***
Fonte: Seminário JMC
Divulgação: Bereianos
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...