sábado, 30 de janeiro de 2016

Excepcionalmente ordinário


Por Nick Horton
“Cara, eu queria poder fazer algo realmente importante para Deus! Você sabe… tipo uma viagem missionária! Escrever um livro que todo mundo goste, ser um pastor conhecido, ou algo assim…”

“É cara, isso seria muito legal. Eu tenho certeza que nós poderíamos fazer algo para Deus, ao invés desses nossos empregos comuns”
Você já pensou assim? Eu já. Eu já pensei esse tipo de coisa e já ouvi outros expressarem sentimentos semelhantes. Esse tipo de pensamento assume que causar um impacto em prol do Reino de Deus depende de plataforma, proeminência e posição. Nós assumimos que é preciso ter uma plataforma a partir da qual podemos proclamar a palavra de Deus e contar aos outros sobre Sua glória. Proeminência, pensamos, nos ajudará a sermos eficientes em alcançarmos o maior número possível de pessoas com o evangelho. Nossa posição precisa ser significativa: pastor, autor ou músico famoso, para combinarmos com a plataforma e a proeminência.
Há alguns elementos de verdade nisso. De fato, Billy Graham alcançou milhares de pessoas com o evangelho. Lecrae Moore alcança milhares de vidas com sua proeminência artística. John Piper tem um alcance enorme, não apenas pela sua pregação, mas também pelos muitos livros que já escreveu. Eles já alcançaram milhões de pessoas com o evangelho e o impacto disso é inegável. Entretanto, é isso que é necessário para impactar o mundo em prol de Cristo?
Não. Nós romantizamos as coisas que consideramos grandes e damos de ombros para a santidade do dia a dia. Isso é um vestígio de justificação baseada em obras que se infiltra em nossas mentes. Assumimos que Deus ficará muito feliz se fizermos algo grande (em termos humanos) para ele.
Será?
Você realmente pensa que Deus precisa que eu ou você façamos qualquer coisa para alcançar aquilo que Ele deseja? Estamos supervalorizando completamente nosso valor se pensarmos assim. Deus usa meios para cumprir sua vontade, sim. Entretanto, ele decide os meios, não nós. Ele escolhe seus servos, grandes e pequenos, para realizar as obras que ele deseja que eles realizem. Estamos entendendo tudo errado se medirmos o impacto em prol do Reino com números terrenos.
Deus usou uma prostituta pagã, Raabe, para salvar os espias em Jericó. Ela fez parte da genealogia de Jesus. Ela não escreveu um livro ou gravou um CD. Deus usou a fidelidade ordinária de diversos cristãos para promover o ministério de Paulo, por meio de encorajamento e suporte. Leia o fim de suas cartas e veja a gratidão que ele demonstra a pessoas que você nunca ouviu falar. Há muitos outros exemplos.
Deus não nos chamou para impactar o mundo inteiro. Ele nos chamou à fé e ao arrependimento. Nós fomos impactados pelo evangelho compartilhado por outra pessoa. Seja essa pessoa que foi usada grande ou pequena a seus olhos, o poder não estava nelas, mas no evangelho. Nenhum homem salvou eu ou você. Jesus Cristo o fez. Graças a Deus por seus servos, sim, mas lembre-se que eles são seus companheiros de serviço na família de Deus.
E aí?
Por que eu estou perdendo seu tempo? “Eu já sei de tudo isso”, você pode pensar. É porque você precisa ouvir novamente. Eu preciso ouvir novamente. O que o mundo precisa é do evangelho. O que nós podemos dar é o evangelho. Nós o compartilhamos com nossas palavras e demonstramos com nossas ações. Não estou dizendo que demonstramos o evangelho e nunca pregamos. Nós sempre proclamamos o evangelho. Mas nossas obras precisam estar de acordo com ele.
Você quer saber qual é a melhor apologética contra o adultério em todas as suas formas? Casamentos cristãos fiéis e duradouros cheios de amor, demonstrando a glória de Deus.
Você sabe qual é a melhor apologética contra o aborto? Pais cristãos fiéis e amorosos que criam seus filhos, sejam eles biológicos ou unidos pela adoção. A adoção demonstra o valor que damos à vida humana, ao tomar para si filhos que não eram desejados por mais ninguém.
Você quer saber qual é a melhor apologética contra a cultura do consumismo? Cristãos fiéis e amorosos que usam suas posses de formas que honram a Deus e buscam glorificá-lo em tudo que fazem: no trabalho, no lazer e em casa.
Viva uma vida fiel e ordinária, pronto a ir para onde Deus te chamar. Deus te chamou para Seu Reino e Seu serviço. Não deixe nossa cultura idólatra ditar sua noção de utilidade. Deixe Deus ditar o quanto e onde você deve servir, por meio de Sua Palavra e das paixões que ele deu especificamente a você.
“Ande cada um segundo o Senhor lhe tem distribuído, cada um conforme Deus o tem chamado. É assim que ordeno em todas as igrejas. Foi alguém chamado, estando circunciso? Não desfaça a circuncisão. Foi alguém chamado, estando incircunciso? Não se faça circuncidar. A circuncisão, em si, não é nada; a incircuncisão também nada é, mas o que vale é guardar as ordenanças de Deus. Cada um permaneça na vocação em que foi chamado. Foste chamado, sendo escravo? Não te preocupes com isso; mas, se ainda podes tornar-te livre, aproveita a oportunidade. Porque o que foi chamado no Senhor, sendo escravo, é liberto do Senhor; semelhantemente, o que foi chamado, sendo livre, é escravo de Cristo. Por preço fostes comprados; não vos torneis escravos de homens. Irmãos, cada um permaneça diante de Deus naquilo em que foi chamado.” (1 Coríntios 7.17-24)
***
Traduzido por Filipe Schulz no Reforma 21

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Homens que deixaram de ser homens, uma tragédia para a família



Vivemos num tempo em que um número incontável de  jovens não amadureceram. Na verdade, alguns rapazes dessa nova geração podem ser denominados de "homeninos", isto é, homens que envelheceram, sem contudo abandonarem seus comportamentos juvenis. 

Na verdade, esse tipo de jovem,  por motivos diversos tem desenvolvido em sua cotidianidade uma vida de adolescente, desprovido de responsabilidade e maturidade emocional. Para piorar a situação, muitos destes "homeninos" tem adentrado ao casamento absolutamente despreparados, transportando para vida conjugal comportamentos completamente infantilizados, senão vejamos:

1-) "Homeninos" não assumem a responsabilidade de cuidar, proteger e amar as suas esposas. "Homeninos", não cresceram e em virtude disso, fazem de suas esposas um tipo de mulher-mãe cuja existência é  paparicar o homem não crescido.

2-) "Homeninos" não assumem o seu papel de provedor da família. Nessa perspectiva escondem-se na barra da saia de suas esposas ou pais, esperando que estes sejam os provedores do lar.

3-) "Homeninos" comportam-se como adolescentes. jogando perenemente vídeo-games, futebol, ou qualquer outra atividade inerente a fase da adolescência. Veja bem, não sou contra vídeo-games, longe disso. Sou contra a homens que em vez de dedicarem seu tempo a esposa e filhos, o gastam em jogos virtuais, deixando de lado àqueles que o Senhor os confiou.

4-) "Homeninos" são imaturos emocionalmente, fazem bico quando ouvem um "não", murmuram quando tem suas vontades frustradas ou até mesmo quando a esposa discorda de sua postura imatura.

5-) "Homeninos" são omissos na educação e disciplina dos filhos deixando a responsabilidade de corrigir, educar, admoestar e ensinar os filhos nas mãos de suas esposas.

6-) "Homeninos" são bananas (Leia aqui), não lideram suas casas, não conduzem seus lares no temor do Senhor , permitindo que suas esposas exerçam um papel que não foi determinado pelas Escrituras.

7-) "Homeninos"  relativizaram a masculinidade, desenvolvendo um comportamento "feminilizado". onde a ausência de firmeza é marca constante.

Caro leitor, verdadeiramente quando homens deixam de ser homens, a sociedade entra em colapso. 

Que Deus tenha misericórdia dessa geração!

Renato Vargens

Jornalista dinamarquesa desabafa: “europeus estão afeminados e as mulheres estão em perigo”

Por Renato Vargens

PARE, LEIA E PENSE!

jornalista dinamarquesa, Iben Thranholm, reclamou em Rede de Televisão  dos efeitos nefastos de décadas de feminismo, que tornou o homem europeu um ser afeminado, deixando de lado virtudes tradicionais como virilidade, honra, coragem, coisas úteis para proteger suas mulheres e sua cultura.

Eu particularmente tenho escrito sobre a feminilização da sociedade e da igreja (Leiamaqui aqui) o que com certeza tem trazido inúmeros problemas a sociedade como um todo. 

Iben Thranholm no episódio do ataque sexual em massa ocorrido na Europa e em especial na Alemanha afirmou que muitos homens estão se comportando como mulheres. Para ela isso se mostra claramente quando os homens em vez de defenderem as mulheres, se comportam passivamente protestando contra o abuso sexual vestindo mini-saias (veja o vídeo abaixo). 

A jornalista também afirmou que os políticos europeus são fracos e que isso se deve efetivamente a feminilização da cultura. 

Caro leitor, lamentavelmente estamos vivendo num tempo em que os homens perderam a firmeza e a capacidade de conduzir, proteger e livrar suas famílias do mal. Para piorar a situação a sociedade está desequilibrada em virtude de falta homem no pedaço. O feminismo empoderou as mulheres, diminuiu o papel dos homens na sociedade, o que nos fez entrar num colapso social.

Verdadeiramente vivemos dias complicados onde o marxismo cultural tem feminilizado os homens e masculinizado as mulheres, tentando assim acabar com as bases judaico-cristãs que fundamentam a família. 

Sem sombra de dúvidas , precisamos resgatar os valores bíblicos relacionados aos papeis de homens e mulheres na sociedade lutando assim contra os valores deste mundo caído e pecador.

Pense nisso!

Renato Vargens


quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Augustus Nicodemus é um dos preletores da Consciência Cristã 2016


Por Mariana Gouveia
Está chegando! Falta pouco para a abertura do 18º Encontro para a Consciência Cristã, que será realizado de 04 a 09 de fevereiro, no Complexo do Parque do Povo, em Campina Grande (PB). O evento contará com as participações de 32 preletores, expoentes da fé cristã em âmbito nacional e internacional. Entre os convidados, está Augustus Nicodemus, responsável por ministrar a Palavra na plenária do dia 05 de fevereiro.

Augustus Nicodemus é vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil, e foi, durante 10 anos, chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie. É mestre em Novo Testamento pela Universidade Reformada de Potchefstroom (África do Sul), doutor em Interpretação Bíblica pelo Seminário Teológico de Westminster (EUA), com estudos no Seminário Reformado de Kampen (Holanda). É professor no Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper; Autor de diversos livros, mantém, com dois colegas, um blog de grande visibilidade na internet (O tempora, O mores) e realiza um profícuo ministério de pregações e palestras em seminários e conferências no Brasil e em outros países. É casado com Minka Schalkwijk e tem 4 filhos.
Durante a 18ª Consciência Cristã, Augustus Nicodemus ministrará na plenária noturna da sexta-feira, dia 05 de fevereiro, que começará às 19h30. O tema do sermão será “Jesus, o Caminho para a Casa do Pai”, baseado em João 14:1-14).
Além das plenárias, a Consciência Cristã 2016 terá ainda 13 eventos paralelos, que abordarão temas como liderança, missões, família, apologética, cosmovisão, feminilidade e outros. A participação nesses eventos, assim como nas plenárias matutinas, depende de inscrição prévia, que pode ser feita no site oficial do evento. As plenárias noturnas serão abertas ao público.
Mas a programação da Consciência Cristã 2016 não terá apenas palestras e pregações. O evento também será uma oportunidade de os participantes adquirirem literatura cristã de qualidade a preços especiais. Será na 4ª Feira do Livro da Consciência Cristã, a FELICC. A feira terá a participação de alguns das maiores editoras evangélicas do Brasil, a exemplo das editoras Vida, Vida Nova, Hagnos, Pão Diário, Cultura Cristã, Fiel, Nustra, Sociedade Bíblica do Brasil, CPAD, Mundo Cristão, AD Santos e Esperança, além da Visão Cristã, selo editorial oficial do evento.
Várias caravanas já estão sendo formadas para a 18ª Consciência Cristã, e os organizadores do evento oferecem apoio a grupos interessados em hospedagem alternativa. O suporte é disponibilizado a caravanas, de no mínimo 15 pessoas, interessadas em se hospedar em locais como escolas e igrejas. 
Os interessados devem preencher um formulário, disponível no site: www.conscienciacrista.org.br.
***
Divulgação: Púlpito Crsitão

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

“Casais” de 3 ou mais parceiros obtêm união com papel passado no Brasil

PARE, LEIA E PENSE!
São oficialmente oito casos no país, um deles envolve 5 pessoas
por Jarbas Aragão

"Casais" de 3 obtêm união com papel passado no Brasil
Os casos de “trisais”, uniões estáveis de 3 pessoas, estão se multiplicando no Brasil. Ano passado, foi oficializado o relacionamento de três mulheres.
Agora, o jornal Folha de São Paulo revela que são pelo menos oito escrituras de mais de duas pessoas na mesma “união estável” oficializadas no país. Na prática, isso significa que a poligamia (ou poliamor, como prefere a mídia) atingiu o mesmo status do casamento.
O jornal dá destaque para o que chama de “família de 3”: Audhrey Drummond, 49, e Eustáquio Generoso, 57, e Rita Carvalho, 45. Os dois primeiros se casaram em 1988 e ficaram juntos até 1997. Do relacionamento nasceu um filho: Iago, 23 anos.
Desde 2007, o homem e as duas mulheres moram juntos em Belo Horizonte em dois apartamentos conjugados, onde também reside Iago. Eles dizem não se importar com a opinião dos outros. “Se a gente está bem, numa felicidade tão grande, o pessoal fica bem também”, afirma Eustáquio.
Eustáquio vive maritalmente com as duas mulheres, mas as duas não se relacionam sexualmente. Ele fica uma semana com cada uma no seu quarto e vão alternando.  Em 2016 estão oficializando a família e pretendem pleitear a inclusão das duas mulheres como dependentes do plano de saúde de Eustáquio.
A tabeliã Cláudia Domingues, entrevistada pelo jornal, conta que emitiu pelo menos oito escrituras de união estável poliafetiva. O maior grupo, conta a tabeliã, envolveu cinco pessoas (três homens e duas mulheres), de Santa Catarina.
Essa questão foi tratada pela ativista da família Marisa Lobo no Facebook. Evangélica, ela teve seu registro de psicóloga cassado por demonstrar sua fé nas redes sociais e defender que um homossexual pode ser curado.

Questão legal

“Você não pode se casar com mais de uma pessoa, mas não há proibição de que você viva com quantas quiser”, explica Domingues, que estuda o tema em seu doutorado, na USP.
A tabeliã carioca Fernanda de Freitas Leitão, que emitiu a certidão das três mulheres no ano passado, justifica: “Ainda não há decisão que garanta direitos automaticamente a famílias poliafetivas que possuam o documento. Mas serve de base para que as pessoas pleiteiem esse direito na Justiça.”
O registo oficial daria direito a inclusão em planos de saúde, em planos de previdência e herança, por exemplo.
O início da validação dessas uniões tem respaldo na decisão de 2011 do Supremo Tribunal Federal que equipara a união homoafetiva ao casamento heterossexual.
Essa é a opinião de Fernanda Leitão, que já foi procuradora estadual do Rio de Janeiro. Para ela, o tribunal reconhece “outras formas de convivência familiar fundadas no afeto”.
O presidente da Associação Brasileira de Direito da Família, Rodrigo da Cunha Pereira, afirma que “a fonte do direito não é a lei, mas os costumes”. Para ele “A família não é um fenômeno da natureza, mas da cultura”.
Fonte:Gospelprime

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

MENINO AMPUTA PRÓPRIA MÃO PARA SE “DESCULPAR” COM MAOMÉ



Por Leilane Roberta Lopes

Um jovem de 15 anos assistia uma celebração a Maomé em uma mesquita da Província de Punjab, no Paquistão, quando, por não entender uma pergunta direito, acabou blasfemando contra o profeta do Islã.


Qaiser (nome fictício), participava de uma homenagem ao nascimento do profeta e o clérigo perguntou:  “Quem entre vocês crê em Maomé?”. Todos levantaram as mãos. Em seguida o religioso voltou a questionar a congregação: “Quem entre vocês não acredita nos ensinamentos do santo profeta? Levantem suas mãos!”.

O jovem não prestou atenção e ergueu as mãos, o clérigo o acusou de blasfêmia e Qaiser voltou para casa transtornado pensando em algo que provasse sua fé e seu amor pelo profeta Maomé.
Foi então que ele decidiu amputar a mão que ele levantou durante a reunião. “Quando eu levantei minha mão direita sem querer, eu percebi que havia cometido uma blasfêmia e precisava compensar tamanha afronta”, revelou Qaiser em entrevista à BBC.

Os moradores da aldeia ficaram em êxtase pela atitude que o jovem tomou para honrar o profeta e tentar se redimir pela blasfêmia cometida.
Porém o governo do Paquistão prendeu o clérigo pela lei antiterrorismo, acusando-o de ter instigado o extremismo e o fanatismo religioso.

O jovem de 15 anos não se arrepende do que fez e em entrevista chegou a dizer que não sentiu dores ao amputar a própria mão. “Por que eu sentiria dor ou teria algum problema cortando uma mão que foi levantada contra o santo profeta?!”
A automutilação de Qaiser gerou um caso inédito no Paquistão, pois a família do jovem não o considera uma vítima do extremismo religioso e seus vizinhos comemoram a atitude.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...