sábado, 17 de dezembro de 2016

“Agradeço todas as noites por Deus ter me tirado das mãos de Lúcifer”, diz Casagrande

O comentarista esportivo relatou em testemunho na “Assembleia de Deus Novo Tempo” que Deus o livrou de Lúcifer quando ele estava em casa e foi cercado por imagens malignas.
O comentarista esportivo Walter Casagrande Jr., também conhecido como “Casão”, testemunhou na Assembleia de Deus Novo Tempo, em São Paulo, um livramento que Deus lhe deu. Em um vídeo publicado no Facebook por Reginaldo Santos, ele que já declarou em um programa da Jovem Pan ter “simpatia por Lúcifer” contou que lutou contra forças malignas em sua casa e que Deus interveio em seu favor.
O vídeo inicia com ele relatando que estava em casa em uma madrugada. “Eu ficava de madrugada sentado no sofá e as imagens apareciam no sofá e tudo mais. Num determinado dia, as vezes que eu recorria a uma ajuda espiritual, eu não sabia nem fazer uma oração. Eu não tinha nenhum conhecimento da vida de Cristo. Eu tinha da vida de Lúcifer, então eu não conseguia me defender daquilo ali”, disse.
“E quando eu ia procurar essas coisas na internet, quando eu encontrava a internet caia, faltava energia, sempre bloqueava qualquer ajuda que eu tentava ter”, contou o comentarista.
“Ai, em uma determinada noite eu estava na sala e senti uma presença e pensei: ‘Agora é o meu fim’. Ai, eles estavam vindo mesmo para me matar. Eles vinham na minha direção e eu fui me afastando até chegar na parede. Ai, eu senti uma presença do lado, que era Lúcifer e eu falei: ‘Pô, você vai deixar eles me pegarem? Eu falei da sua vida até agora e você vai deixar eles me pegarem?’”, relembrou Casão.
Casagrande ressalta que Lúcifer não lhe ajudou. “Ai, ele não respondeu nada e as imagens continuaram. Foi ai que eu comecei a orar o Pai Nosso. Eu estava desesperado e as imagens continuavam. Mas, de repente sairam de dentro de mim orações que eu nunca tinha feito. E eu falando que Cristo vivia no meu coração”, contou.
“Até que as imagens começaram a desaparecer. E daquele dia em diante eu senti que a minha vida era de Cristo. Eu ainda não estou em nenhuma igreja, mas eu agradeço todas as noites por Deus ter me tirado das mãos de Lúcifer. Eu senti Cristo do meu lado, Ele me abraçou naquela noite. Ele me colocou nos braços dele. Eu não estava do lado dEle, mas Ele quis me defender mesmo assim”, finalizou.
Confira o vídeo do testemunho:

Com informações do Guiame
Imagem: Facebook

O MANDATO ESPIRITUAL, SOCIAL E CUTURAL EM EFÉSIOS


Partilhar


Por Denis Monteiro

Antes da Queda, Deus deu algumas ordenanças a Adão e Eva o qual chamamos de ordenanças da criação. Deus ordenou ao primeiro casal: Que se casassem e procriassem para encher a terra, exercessem domínio sobre as criaturas, o trabalho e o descanso semanal – claro, sabemos que Deus ordenou que o casal não poderia comer da árvore do conhecimento do bem e do mal, mas essa não é geralmente considerada uma ordenança da criação, pois Deus deu apenas para aquela ocasião e não uma ordenança perpétua. Chamamos estas ordenanças de mandatos. Mandato espiritual, social e cultural.


Mandato Espiritual: Este mandato envolve um relacionamento com o Deus que nos deu a Sua imagem (Gn 1.26). Uma paz entre Ele e suas criaturas, o qual, também, estabeleceu um dia de descanso de nossas obras para dedicarmos inteiramente a Ele em santidade.
Mandato Social: Este mandato que envolve um relacionamento, não só com Deus, envolve com a família que por Deus fora criada. Este mandato envolve a liderança dos pais em saber guiar as suas famílias, segundo a ordem de Deus. 
Mandato Cultural: Este terceiro, e ultimo mandato, é um envolvimento com a sociedade. Você, assim como eu, já deve ter ouvido falar de que todos os nossos relacionamentos com aspectos culturais fossem seculares e nosso relacionamento com Deus espiritual. Este mandato envolve questões políticas, educação, artes, lazer, tecnologia, indústria, e quaisquer outras áreas.

As consequências do pecado nas ordenanças da criação.

No mandato espiritual, o pecado fez separação entre Deus e Sua criação. Até os animais e natureza ficou sujeita à servidão (Rm 8.20). O Homem já nasce alienado de Deus proferindo mentiras (Sl 58.3), mortos espiritualmente, pelo pecado, como diz Jean Diodati: “de onde provêm miséria e incapacidade de fazer o bem”.[1]

No mandato social, além do pecado afetar o nosso relacionamento com Deus, ele afetou nosso relacionamento social entre os familiares. Após a entrada do pecado no mundo o relacionamento perdido, com Deus, afeta as bases da família causando até vergonha sexual entre o homem e a mulher. Desde o quarto capitulo do Gênesis o efeito de pecado se mostra claro, com a morte causada pelo irmão – Caim matando Abel. Filhos não respeitando os pais, desobedecendo-os, ou como o próprio Gênesis mostra, Jacó enganando seu pai com a ajuda de sua mãe (Gn 25).

Assim como, o pecado afetou o relacionamento com Deus, ele afetou nosso relacionamento familiar, também, afetou o nosso relacionamento na sociedade –Mandato Cultural. John Frame diz: “indivíduos pecaminosos contaminam as instituições que formam, e estas instituições tornam o efeito do pecado ainda piores. Quando pecadores se juntam, eles alcançam impiedade maior do que conseguiriam individualmente”.[2] Desde o Gênesis já nos é dito que este mandato estava sendo impiamente desenvolvido. Em Genesis 4.17-24 os descendentes de Caim já desenvolviam certo tipo inicial de cultura.[3] Esses desenvolvimentos, em si não são maus, mas o uso dos mesmos voltados para a glória humana são, como podemos ver nas músicas de hoje, as quais faltam beleza, bondade e verdade. Vemos a Torre de Babel sendo erguida para chegar aos céus e a confusão que Deus faz com as línguas para que ninguém entenda ninguém, pois não queriam ser espalhados por toda a terra (Gn 11.4) desobedecendo à ordem de Deus de se espalhar (Gn 1.28).

Então, a pergunta é: Como cumprir estes mandatos para a glória de Deus, conforme Sua vontade? [4]

Novo relacionamento com Deus (Efésios 4.17 – 5.1-21)

Nesta divisão Paulo nos mostra como devemos ser e o porquê viver de forma digna, por exemplo: “Quanto à antiga maneira de viver, vocês foram ensinados a despir-se do velho homem, que se corrompe por desejos enganosos, a serem renovados no modo de pensar e a revestir-se do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em justiça e em santidade provenientes da verdade.” Efésios 4.22-24.

Fomos resgatados para despirmos do velho homem, pois somos a imagem de Deus. Em Cristo este relacionamento foi reconciliado por intermédio de Seu sangue derramado na cruz em favor de Seu povo. O pecado que fazia separação fora pago por Cristo, logo, Deus não está mais irado conosco. Por isso que Paulo admoesta aos crentes que vivamos antiteticamente: “deixe a mentira mas fale a verdade; Irai-vos e não pequeis; se furtava não furte mais mas trabalhe; não saia palavra torpes da boca mas só boas para a edificação.” (4.25-29). E como imagem de Deus, devemos imitar a Deus, como filhos amados (5.1), produzindo frutos que provem de Deus ao contrário das obras das trevas, vivendo cheio do Espirito Santo, como diz Erasmus Sarcerius: “Ser cheio do Espirito Santo é uma forma particular e uma manifestação do andar prudente, pelo qual a salvação, juntamente com as obras da luz, é preservada (…).”[5] Sendo assim, somente após a redenção e reconciliação que Cristo fez, podemos ter paz com Deus e tentar cumprir o Seu mandato, nos separando para servi-lo a cada dia e guardando o Dia do Senhor, como um dia santo dedicado totalmente a Ele.

Novo relacionamento com nossa família (5.22- 6.1-4)

Aquilo que foi perdido na Queda no Éden, Paulo admoesta que deve voltar ativa no casal cristão. A mulher deve ser submissa ao marido porque ele é o cabeça constituído por Deus desde o Éden, oficio este que o homem não exerceu deixando a mulher ser enganada, e assim, pecando (1 Tm 2.14). Assim como Cristo é o cabeça da Igreja o marido deve ser o da esposa. O esposo deve amar sua esposa como Cristo amou a igreja se entregando por ela e amando como se fosse o próprio corpo. Pois, o que as crianças aprenderão ou descobrirão num casamento desestruturado? Um casamento desestruturado é aquele em que há disputas e lutas sobre quem está no poder, e assim, nenhum dos cônjuges cumpre o seu papel. Por isso que Paulo diz: “Portanto, cada um de vocês também ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher trate o marido com todo o respeito.” Efésios 5.33 (ênfase acrescentada).

Os filhos devem obedecer a seus pais de forma justa, no Senhor, pois isto é obedecer ao quinto mandamento que é o primeiro mandamento como promessa: “honra teu pai e tua mãe” (6.2; cf. Êx 20.12). Os pais devem amar seus filhos, mas não se esquecer da disciplina aplicada com amor e ensinando a temer a Deus e ensinados a rejeitar suas inclinações naturais.

Novo relacionamento cultural (6.5-9)

O fato de Cristo ser o nosso cabeça isso não quer dizer que não devemos obedecer outra autoridade. Paulo nos mostra que o servo cristão deve ser obediente aos seus senhores que são segundo a carne, em sinceridade de coração como se obedecesse diretamente a Cristo. O servo cristão deve servir ao seu senhor não com o fim principal de agradar aos homens, mas como servos de Cristo servindo de boa vontade. A ambição (pecaminosa) que permeava a edificação da torre de babel não deve existir entre o servo cristão e seu senhor, pois o servo deve trabalhar para a glória de Deus. Assim, o senhor deve respeitar ao seu servo não como respeitando à vista, deixando as ameaças de lado. Pois acima deste senhor há um Senhor que tem um nome que é acima de todo nome, o qual não faz acepção de pessoas.

Conclusão

Só em Cristo podemos restabelecer aquilo que Deus ordenou às suas criaturas, podendo ter um relacionamento sincero com Deus. E assim, tendo um relacionamento com Deus, os outros tendem a ser restabelecidos: Uma família que serve a Deus em seus relacionamentos, bem como os servos que glorificam a Deus servindo ao seu senhor como se fosse a Cristo, pois não podemos ter em mente este dualismo: Sagrado e secular. Sagrado é tudo aquilo que é espiritual e secular aquilo que não é espiritual. Mas não é isso que a Bíblia nos diz, pois em tudo que fomos fazer, fazemos para a glória de Deus Pai.
___________
Notas:
[1] BRAY, Gerald L. Comentário Bíblico da Reforma – Gálatas e Efésios. São Paulo: Cultura Cristã, 2013, p. 304.
[2] FRAME, John M. A doutrina da vida cristã. São Paulo: Cultura Cristã, p. 257.
[3] Cf.: Ibid.
[4] Eu mostrarei nestes três capítulos de Aos Efésios, somente o que Paulo lista. Não tratarei de toda questão que envolve os mandatos.
[5] BRAY, Gerald L. Comentário Bíblico da Reforma – Gálatas e Efésios. São Paulo: Cultura Cristã, 2013, p. 397.


***
NAPEC

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Famílias pedem autorização para matar filhas e evitar estupro em Aleppo

Histórias ganham força com a reprodução nas redes sociais da carta de uma enfermeira da área cercada da cidade explicando por que havia escolhido o suicídio diante da possibilidade de “cair nas mãos de animais do Exército sírio”.
LONDRES — Moradores do leste da cidade síria de Aleppo estão pedindo permissão a religiosos para que pais possam matar as filhas, mulheres e irmãs antes que elas sejam capturadas e estupradas pelas forças do regime de Bashar al-Assad, da milícia libanesa do Hezbollah ou do Irã, de acordo com relatos que circulam. As histórias ganharam força com a reprodução nas redes sociais da carta de uma enfermeira da área cercada da cidade explicando por que havia escolhido o suicídio diante da possibilidade de “cair nas mãos de animais do Exército sírio”. Outros postam mensagens desesperadas à medida que as tropas do governo se aproximam, trazendo para mais perto do mundo o drama vivido na área rebelde da cidade síria.
“Sou uma das mulheres em Aleppo que em breve serão violadas. Não há mais armas ou homens que possam ficar entre nós e os animais que estão prestes a vir, o chamado Exército do país. Eu não quero nada de você. Nem mesmo suas orações. Ainda sou capaz de falar e acho que a minhas orações são mais verdadeiras do que as suas. Tudo o que peço é que não assuma o lugar de Deus e me julgue quando eu me matar. Eu vou me matar e não me importo se você me condenar ao inferno! Estou cometendo suicídio porque não quero que meu corpo seja alguma fonte de prazer para aqueles que sequer ousavam mencionar o nome de Aleppo dias atrás. E quando você ler isso saiba que eu morri pura apesar de toda essa gente”, diz a carta. O nome não foi divulgado e a veracidade não pode ser comprovada.
A carta era endereçada a líderes religiosos e da oposição e, segundo o jornal britânico “Metro”, o post foi compartilhado pelo trabalhador humanitário Abdullateef Khaled. Ela reforça os rumores de mulheres cometendo o suicídio para evitar o estupro à medida que as forças sírias avançam e surgem denúncias de execuções.
Outros relatos que circulam nas redes sociais dizem que pais estão pedindo a permissão de autoridades religiosas para assassinar as próprias filhas antes que sejam capturadas. As forças sírias executaram mais de 80 pessoas em Aleppo na segunda-feira, incluindo mulheres e crianças ainda em suas casas.
Muhammad Al-Yaqoubi, um conhecido líder religioso que fugiu da Síria, tuitou na terça-feira que estava recebendo consultas de Aleppo, incluindo algumas inquietantes: “Pode um homem matar sua mulher ou irmã antes que ela seja estuprada pelas forças de Assad na frente dele?”
DESESPERO NAS REDES SOCIAIS
Uma trégua deveria ter permitido a saída de moradores da cidade. Mas com a retomada dos bombardeios nesta quarta-feira, a retirada foi suspensa. O desepero aumenta e, isolados por terra, moradores da área cercada enviam apelos pelas redes sociais.
Filmado pelo próprio celular, o professor de inglês Abdulkafi al-Hamdo aparece encolhido atrás de um muro. Afirmando que as forças de Assad estão chegando e que podem estar a 300 metros dali, ele resume a situação:
– Não há mais para onde ir. Este é o último lugar – diz no vídeo divulgado pelo Twitter. Espero que algo possa deter os massacres. Ninguém dormiu esta noite. Minha mulher, minha filha, todos os que conheço estão… – disse, até que o vídeo foi interrompido de repente.
Não se sabe a situação dentro de um dos últimos bolsões controlados pelos rebeldes na cidade. A última mensagem do jornalista americano Bilal Abdul Kareem na região veio na segunda-feira. Com o som de explosões ao fundo, ele disse poderia ser um de seus últimos vídeos.
– Talvez não possamos mais enviar mensagens à medida que o regime se aproxima cada vez mais.
Outros enviam mensagens de despedida, temendo a morte ou a captura. São agradecimentos a quem ajudou os sírios, pedidos para que habitantes de outros países protestem contra o que ocorre no país. Outras são reproduzidas por jornalistas que recebem mensagens de ativistas na cidade.
“Ativistas estão tuitando seus momentos finais. Eles quase certamente serão detidos/torturados/mortos após a captura. O aperto que se sente no estômago após ler as últimas mensagens de Aleppo. Que Deus nos perdoe por não ajudar essas pessoas”, escreveu um jornalista no Twitter.

Com informações O Globo
Imagem: Reprodução

Nós não somos pecadores?


A cantora Priscilla Alcântara realmente foi infeliz em seu comentário. Segundo ela, a religião diz que somos pecadores, mas nós (os cristãos) não somos, pois, Cristo tirou o nosso pecado. E agora nós somos santos. Por pertencemos a um Deus que é perfeito, também nos tornamos perfeitos, segundo sua fala.

Antes de entrar no cerne da questão, acredito que a forma como muitos procederam com relação a pessoa da Priscilla foi algo que passou do tom. Sei que dá para corrigir sem taxá-la de herege e adjetivos afins. Também alerto que o seu equívoco doutrinário não é termômetro para julgar a veracidade de sua fé. Há um mal no Brasil de que cantor gospel tem que sair pregando sem ter dom nem chamado para tal. Ela está inserida nessa - digamos - "cultura" prejudicial ao Ministério da Palavra. E isso pode e deve ser combatido, mas que não se misture alhos com bugalhos: o zelo doutrinário não pode virar um neo-gnosticismo. Não sei a quanto tempo ela professa o credo cristão e desconheço a igreja que a mesma frequenta. As respostas para essas duas questões devem ser levadas em conta, pois, ainda há tempo para a Priscilla crescer em graça e no conhecimento do SENHOR, evitando assim algumas interpretações truncadas do Evangelho. Para isso, é bom sentar e aprender, não se considerar apta para ministrar a Palavra. Enfim...

A Priscilla erra ao desconsiderar que em Cristo somos justificados e nossos pecados não mais serão contados no Dia do Juízo. Somos salvos pela graça, mas o Cordeiro de Deus pagou o preço. Em outras palavras, somos salvos da condenação e libertos do poder do pecado, declarados justos diante do Supremo Juiz pelos méritos de Cristo. O que não anula a nossa inclinação adâmica para pecar. O fato de sermos santos em Cristo, é real, todavia não consumado. Deixaremos de sermos pecadores em definitivo apenas no advento da segunda vinda, quando adentrarmos no Reino dos Céus "ele transformará os nossos corpos humilhados, para serem semelhantes ao seu corpo glorioso". Filipenses 3:21

Até lá, temos que reconhecer diante de Deus que somos pecadores, carentes da graça diariamente. Paulo diz: "Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia!" 1 Coríntios 10:12. E João é taxativo ao afirmar que: "Se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós." 1 João 1:8. Por isso a confissão de pecados é essencial para uma vida piedosa. Lutero foi sábio ao dizer que o cristão é simultaneamente justo e pecador. Esta tensão é vivenciada por todos os remidos até estarmos em definitivo com o nosso Redentor. Lemos na Escritura o seguinte:"Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam". Gálatas 5:17

Então, sendo bíblicos, há que se discordar veementemente da ideia de que não somos pecadores. E nem a doutrina da justificação, que nos torna santos posicionalmente em Cristo, servirá para amenizar o que foi dito pela Priscilla. Nosso statusem Cristo (repito: real, mas na espera da consumação) não nos torna livres da inclinação pecaminosa, que provém de nossa carne. Aqui, neste mundo, estamos em santificação, que é um processo. E faz parte deste processo, o reconhecimento de nossa condição pecaminosa aliado a uma vida constante de confissão e contrição por nossos pecados. Que todo cristão venha entender isso, incluindo a Priscilla Alcântara, pois esta é a sã doutrina, Palavra que gera vida e nos coloca na dependência do nosso Deus bendito.

***
Autor: Pr. Thiago Oliveira
Fonte: Perfil do autor no Facebook
.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Consciência Cristã: Igreja Presbiteriana sediará Seminário Sobre a Reforma

O PÚLPITO EM RUÍNAS



Partilhar


Por Silas Figueira

Ouvi a história que um pastor que estava carregando um púlpito de madeira nas costas pela rua. Alguém que conhecia o pastor lhe perguntou para onde ele estava levando aquele púlpito; ele então respondeu que estava levando o púlpito para a marcenaria, pois o mesmo estava em ruínas devido aos cupins em sua base.


Fiquei pensando nesse ocorrido e comecei a observar que há hoje em dia muitos púlpitos em ruínas devido ao ataque de “cupins” em sua base. Embora nós temos visto hoje em dia a moda dos púlpitos de acrílico, mas a base está sendo atacada por “cupins” espirituais. E a base dos púlpitos em ruína hoje são os líderes que estão por trás deles. Pessoas que não condizem com o nome que carregam; o nome de cristãos. Pessoas que estão em ruínas em várias áreas de suas vidas. Líderes que estão à frente de uma congregação, seja ela pequena, média ou grande, mas tem sido referência negativa para essas pessoas. Líderes que influenciam e que, de alguma forma, direcionam muitos para o mal e não para o bem. Gente trabalhando para o diabo, mas usando o nome de Deus.

Vamos enumerar alguns fatos que têm levado muitos púlpitos à ruína hoje:

Primeiro é vermos líderes não convertidos atrás do púlpito. Parece loucura o que vou falar, mas infelizmente não é, há muitos líderes atrás do púlpito que não nasceram de novo. Pessoas que nunca tiveram uma experiência de conversão. Agem como crente, tem cacoete de crente, mas estão longe de uma fé genuína, pois não nasceram de novo.

Vemos isso através das próprias palavras do Senhor Jesus no final do Sermão do Monte:

Muitos me dirão naquele dia: “Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?” Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal! (Mt 7.22,23 – NVI).

Como disse Spurgeon, que coisa horrível, ser pregador do evangelho, e, todavia, não estar convertido! Um pastor destituído da graça é semelhante a um cego eleito professor de ótica, que faz filosofia sobre a luz e a visão, comentando e distinguindo para outros os belos sombreados e as delicadas combinações das cores prismáticas, enquanto ele mesmo está absolutamente em trevas! É um mudo elevado à cátedra de música; um surdo a falar sobre sinfonias e harmonias! Uma toupeira pretendendo criar filhotes de águias; um molusco eleito presidente de anjos! [1].

Tais líderes são cegos guindo cegos (Mt 15.14; Lc 6.39). São pessoas que estão indo para o buraco e estão levando outros com eles. 

Segundo é vermos líderes deformados em seu caráter. Spurgeon diz que se o nosso relógio não estiver certo, muitas poucas pessoas, além de nós mesmos, sofrerão com o engano, mas se o do edifício dos Horse Guards, de Londres, ou o do Observatório de Greenwich, estiver errado, a metade de Londres ficará desorientada. Assim com o ministro. Ele é o relógio da comunidade. Muitos conferem a sua hora com ele e, se ele for incorreto, todos andarão erradamente, uns mais outros menos, e em grande medida ele terá que responder por todos os pecados que ocasiona [2].

É igual a história de um determinado pastor que assumiu uma igreja. No dia da posse ele estava com a esposa, pagaram hotel para o casal passar a noite... Alguns dias depois esse pastor disse que estava separado de sua esposa e que estava aberto para novos relacionamentos. Não tardou muito, vários membros da igreja passaram a agir como ele e ainda diziam que se o pastor podia eles podiam também.

Se houver pecado na congregação que não seja o pastor o exemplo desse pecado. Como disse Paulo a Timóteo:

“Ninguém o despreze pelo fato de você ser jovem, mas seja um exemplo para os fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé e na pureza. Até a minha chegada, dedique-se à leitura pública da Escritura, à exortação e ao ensino. Não negligencie o dom que lhe foi dado por mensagem profética com imposição de mãos dos presbíteros. Seja diligente nessas coisas; dedique-se inteiramente a elas, para que todos vejam o seu progresso. Atente bem para a sua própria vida e para a doutrina, perseverando nesses deveres, pois, agindo assim, você salvará tanto a si mesmo quanto aos que o ouvem” (1Tm 4.12-16 – NVI).

Terceiro é vermos líderes preguiçosos no estudo da Palavra. A. W. Tozer falando a respeito do coração inconstante diz que o problema é que, em geral, as únicas atividades nas quais todos perseveram são aquelas em que a natureza as força a praticar – comer, beber, dormir, proteger a si mesmo, ou outro poderoso instinto interno. Enquanto humanidade perdurar, o amor, o casamento e tudo mais continuarão a existir, já que esses são instintos profundamente arraigados à nossa espécie. Entretanto, aquilo que requer planejamento e um esforço cuidadoso e árduo torna-se fácil de abandonar [2]. No caso em questão a perseverança em estudar as Sagradas Escrituras.

Para tal é necessário, em primeiro lugar, ter senso de responsabilidade. Ter consciência de que temos que estudar com dedicação e empenho, pois afinal de contas a igreja espera de nós alimento sólido toda vez que nos posicionarmos atrás do púlpito, e não lhes oferecermos palha como muitos fazem. Mas para isso é necessário sermos responsáveis, pois o irresponsável não se importa com isso.

Manejar bem a palavra da verdade implica em dedicação e empenho, esforço redobrado, desejo de fazer o melhor pelo Reino e para o Reino. 

Tomemos como exemplo a carta de John Wesley a John Trembath:

“O que tem lhe prejudicado excessivamente nos últimos tempos e, temo que seja o mesmo atualmente, é a carência de leitura. Eu raramente conheci um pregador que lesse tão pouco. E talvez por negligenciar a leitura, você tenha perdido o gosto por ela. Por esta razão, o seu talento na pregação não se desenvolve. Você é apenas o mesmo de há sete anos. É vigoroso, mas não é profundo; há pouca variedade; não há sequencia de argumentos. Só a leitura pode suprir esta deficiência, juntamente com a meditação e a oração diária. Você engana a si mesmo, omitindo isso. Você nunca poderá ser um pregador fecundo nem mesmo um crente completo. Vamos, comece! Estabeleça um horário para exercícios pessoais. Poderá adquirir o gosto que não tem; o que no início é tedioso será agradável, posteriormente. Quer goste ou não, leia e ore diariamente. É para sua vida; não há outro caminho; caso contrário, você será, sempre, um frívolo, medíocre e superficial pregador. Faça justiça à sua própria alma; dê-lhe tempo e meios para crescer. Não passe mais fome. Carregue a sua cruz e seja um cristão no verdadeiro sentido da palavra. E então, todos os filhos de Deus se regozijarão (e não se afligirão) consigo; e, particularmente”.

Poderíamos ampliar essa lista, mas creio que tudo começa pela falta de temor, por que muitos na verdade nunca tiveram uma experiência de conversão. Quem não é convertido não tem o Espírito Santo habitando em si, quem não tem o Espírito Santo não pertence ao Senhor e quem não pertence ao Senhor é filho do diabo.

O que temos visto hoje em muitas igrejas são filhos do diabo se passando por filho de Deus e levando as pessoas para o inferno com elas.

Pense nisso!

***
Ministério Beréia

Refutando as Seitas - Parte 2 (Adventismo do Sétimo Dia)

image from google


No artigo anterior foram analisadas as heresias do movimento jeovista, neste exporei as heresias da Igreja Adventista do Sétimo Dia. É interessante que aqueles que não leram o primeiro artigo, o leiam para entender a definição de seita que está sendo adotada nesta série.

Embora alguns apologistas, tais como Walter Martin e Fernando Galli, considerem a Igreja Adventista do Sétimo Dia como parte do Cristianismo[1], na medida em que o Adventismo nega a doutrina clássica da Trindade, a inerrância e a inspiração exclusiva das Escrituras, torna o sábado um mandamento com significado soteriológico - escatológico central, além de possuir uma estranha doutrina da expiação, o movimento adventista deve ser classificado como uma seita herética, juntamente com os mórmons e Testemunhas de Jeová. Vejamos algumas das heresias da Igreja Adventista do Sétimo Dia, as quais deixarão claro, não só os erros doutrinários do movimento, mas também que o Adventismo é uma seita perniciosa. 

NEOTRINITARIANISMO ADVENTISTA

Assim como os mórmons, os adventistas afirmam crer numa forma diferente de Trindade. O neotrinitarianismo adventista guarda interessantes semelhanças com a “trindade mórmon”, se afastando do dogma trinitário tradicional. Primeiramente vejamos uma definição ortodoxa da doutrina da Trindade:

“Há um só Deus vivo e verdadeiro, o qual é infinito em seu ser e perfeições. Ele é um espírito puríssimo, invisível, sem corpo, membros ou paixões; é imutável, imenso, eterno, incompreensível [...]
Na unidade da Divindade há três pessoas de uma mesma substância, poder e eternidade - Deus o Pai, Deus o Filho e Deus o Espírito Santo, O Pai não é de ninguém - não é nem gerado, nem procedente; o Filho é eternamente gerado do Pai; o Espírito Santo é eternamente procedente do Pai e do Filho.” (CFW I.I,III)[2]

A crença adventista é contrária a essa visão ortodoxa sobre Deus e a Trindade em muitos pontos. Os adventistas creem que:

1. Deus tem corpo, forma e partes:

“Os pioneiros argumentavam que esse conceito contradiz a Bíblia, pois ela apresenta Deus como um ser pessoal ‘tangível’, que ‘possui corpo e partes’[...] Os primeiros adventistas rejeitavam corretamente a Trindade dos credos, que apresenta um Deus ‘sem corpo ou partes’ e não distingue claramente as pessoas da Divindade.”[3]

“Não pude contemplar a pessoa do Pai, pois uma nuvem de gloriosa luz O cobria. Perguntei a Jesus se Seu Pai tinha forma dEle, Jesus disse que sim” “Tenho visto muitas vezes o amorável Jesus, que é uma pessoa. Perguntei-Lhe se Seu Pai era uma pessoa e tinha a mesma forma que Ele. Disse Jesus: ‘Eu sou a expressa imagem da pessoa de Meu Pai.’” [4]

2. Cada pessoa da Trindade é um ser individual tangível:

“[...] os três membros da Divindade como indivíduos tangíveis e pessoais, vivendo desde a eternidade em união de natureza, caráter, propósito e amor, mas ainda assim tendo cada uma Sua identidade pessoal. Este é um ponto de vista simples e bíblico da Trindade, em contraste com os pontos de vista tradicionais, baseado na pressuposição filosófica grega.”[5]

“White rejeita claramente a opinião da Trindade que faz Deus parecer distante, intocável, impessoal; e aceita um ponto de vista literal, bíblico da Trindade, uma opinião que mostra a Deus como incluindo três personalidades divinas individuais, que são um em natureza, caráter, propósito e amor.”[6]

3. Jesus não foi gerado eternamente pelo Pai:

“Ele era Filho de Deus ‘constituído’ por decreto divino (Sal. 2:6 7). Depois da Encarnação, Ele era Filho de Deus ‘de fato’ (João 1:34). [...] Ser Cristo Filho de Deus não significa que Ele foi originado e nascido do Pai; significa que Ele tem a mesma natureza do Pai, e é igual a Ele.” “Portanto, ser Cristo chamado de ‘Unigênito’ também não significa que Ele foi gerado naquele tempo, antes da Encarnação!” “Se é verdade que o ‘Filho unigênito’ (João 3:16) foi gerado literalmente pelo Pai na eternidade, então Cristo morreu como Cordeiro literalmente desde a fundação do mundo (Apo. 13:8); mas seria outro absurdo.”[7]

4. O Espírito Santo não procede eternamente do Pai e do Filho:

“Tudo por conta de apenas um só texto (João 15:26) que não ensina isso [a processão do Espírito]. E apesar de nos mandar a exegese que não criássemos doutrina alguma baseada num só texto da Bíblia.”[8]

Portanto, a Igreja Adventista do Sétimo Dia, contrariando o trinitarianismo bíblico, ensina que a Trindade é uma unidade composta[9] formada por três seres individuais tangíveis e corpóreos, além de negar a visão clássica de que Jesus sempre foi literalmente Filho de Deus e a doutrina da processão eterna do Espírito. Ao fazer isso, os adventistas se afastam da Trindade Cristã e se aproximam do trinitarianismo herético dos mórmons. Observe as semelhanças com o neotrinitarianismo mórmon:

“A crença Mórmon é que eles são três seres separados e com papéis distintos, mas que são um em propósito e doutrina.”[10]
“Não podemos crer, por um momento sequer, que Deus não possua um corpo, partes, paixões ou atributos.” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja, p.29). [11]

CRENÇAS ADVENTISTAS SOBRE A BÍBLIA

A Igreja Adventista do Sétimo Dia ensina que a Bíblia contém erros reais, além de afirmar que os escritos da profetisa Ellen White são tão inspirados quanto as Escrituras:

“Nós cremos que Ellen White foi inspirada pelo Espírito Santo e que seus escritos, um produto dessa inspiração, são aplicáveis e autoritativos, especialmente aos Adventistas do Sétimo Dia.” “Nós não cremos que a qualidade ou nível de inspiração nos escritos de Ellen White são diferentes daqueles encontrados nas Escrituras.”[12]
“A inspiração divina não impediu que os autores bíblicos cometessem ‘erros’ de natureza histórica ou científica, uma vez que estes não afetam nossa salvação. A Bíblia não é inerrante em tudo quanto diz, mas é infalível em tudo quanto ensina com respeito a fé e a prática.” “[...] a doutrina da inerrância bíblica é carente de apoio bíblico. Em parte alguma os autores bíblicos reivindicam que suas declarações sejam inerrantes. Tal conceito tem sido deduzido a partir da idéia da inspiração divina. Presume-se que, sendo a Bíblia divinamente inspirada, deve também ser inerrante. Todavia, a Bíblia nunca faz a equivalência de inspiração com inerrância.” “Uma razão final para a rejeição da inerrância absoluta, no caso dos adventistas, são os ensinos de Ellen White, e o exemplo da produção de seus escritos”[13]

DOUTRINAS SOTERIOLÓGICAS-ESCATOLÓGICAS ESTRANHAS

As visões soteriológicas-escatológicas da Igreja Adventista do Sétimo Dia são inconsistentes com sua afirmação de que o movimento crê na doutrina da salvação pela graça somente. De acordo com a seita, no ano de 1844, Jesus teria mudado de lugar no Céu, saindo do “santo” e indo para o “santíssimo”. Tal ensino, a principal doutrina do movimento, foi baseado em uma falsa profecia propagada por Guilherme Miller:

“Ou seja, para Miller, O MUNDO ACABARIA em 25 anos [...] A notícia de que Jesus voltaria em 1844 foi divulgada para muitas pessoas. [...] Na realidade, a profecia de Daniel 8.14 indicava que em 1844, Jesus passaria do LUGAR SANTO no santuário celeste para o LUGAR SANTÍSSIMO; assim como fazia o sumo sacerdote no dia da purificação do santuário terrestre. Em 22 de outubro de 1844 começou o grande DIA DO JULGAMENTO NO CÉU, o qual vivemos até hoje.”[14]

Os adventistas ensinam que no futuro haverá um decreto dominical, e aqueles que optarem por guardar o Domingo, serão selados com a marca da Besta, sendo, o selo de Deus, o sábado. Afirmam estranhamente que os adventistas da última geração viverão sem pecar e afirmam também que Satanás levará sobre si os nossos pecados:

“Aproxima-se o dia em que todos os seres humanos estarão divididos em apenas dois grupos. Cada um deles terá um sinal identificador – selo de Deus ou selo da besta. Escolher a qual deste grupo vamos pertencer é um assunto de vida ou morte, que devemos resolver aqui e agora.”[15]
“Última geração de salvos será composta por servos de Deus totalmente libertados da escravidão do pecado. Antes que seja fechada a porta da graça esses servos de Deus selados e na plenitude do Espírito, pela graça de Deus estarão vivendo sem pecar. Mesmo estando vivendo no tempo de angústia enfrentando grandes provações essa última geração de salvos provará ser possível sim, fortalecido pela graça de Deus, viver sem pecar, fortalecidos pelo Senhor Espírito Santo estarão prestando plena obediência a lei de Deus.” [16]
“Ocorre agora o acontecimento prefigurado na última cerimônia do Dia da Expiação. [...] ao contemplar-se a obra da expiação no santuário celestial, na presença de Deus e dos anjos celestiais e da multidão de remidos, então os pecados do povo de Deus serão postos sobre Satanás, declarar-se-á ser ele culpado de todo o mal que os fez cometer.”[17]

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A Igreja Adventista do Sétimo Dia não é simplesmente uma denominação cristã com alguns erros, mas uma seita herética. Devemos tomar cuidado com o modo sutil pelo qual o movimento adventista vem introduzindo suas heresias na mente de cristãos sinceros. Alertemos nossos irmãos para o fato de que a “Igreja da TV Novo Tempo” nega a doutrina bíblica da Trindade, a inerrância bíblica, além de defender a inspiração de escritos extrabíblicos e ensinar uma doutrina da salvação que pode ser considerada semi-pelagiana:

Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores.” – Mateus 7.15

___________________
Fontes:
[4] Primeiros Escritos – Ellen White, pp.74 e 97. Disponível em: http://centrowhite.org.br/files/ebooks/egw/Primeiros%20Escritos.pdf
[5] A Trindade, p.248 citado por A Conspiração Adventista – Luciano Sena.
[7] Respostas às 100 Perguntas sobre a Trindade – Roberto Biagini, pp. 13-14, 39, 133.
[8] Ibidem, p. 66.
[9] Revista Princípios, Escola Bíblica – Fernando Inglesias, p.92.
[14] Revista Princípios, Escola Bíblica – Fernando Inglesias, p. 73.
[15] Guia de Estudo Bíblia Fácil Apocalipse, Escola Bíblica, Arilton Oliveira, Frederico Branco, Jairo Souza, Manassés Queiroz, Milton Andrade & Társis Iríades, p.25.
[17] O Grande Conflito (Edição Condensada), Ellen White, Casa Publicadora Brasileira, 2004, pp. 365-366.

***
Autor: Bruno dos Santos Queiroz
Divulgação: Bereianos


quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Ex-Bozo irá mostrar sua conversão em filme: “Quero mostrar o poder que Deus tem”


“Queria falar de Jesus na TV e não deixaram”, revela Arlindo Barreto, que irá mostrar sua história no filme “Bingo – O rei das manhãs”, com lançamento previsto para 2017.
Um dos intérpretes do Bozo nos anos 1980, Arlindo Barreto tinha a missão de entreter as crianças com as características exageradas de um palhaço no SBT. Enquanto isso, os bastidores de sua vida eram marcados pelo excesso de trabalho, o abuso de drogas e álcool — até que sua conversão mudou o rumo de sua carreira.
Sua história será mostrada no filme “Bingo – O rei das manhãs”, dirigido por Daniel Rezende e estrelado por Vladimir Brichta, com lançamento previsto para 2017.
“Passei um tempo com o Vladimir, um ator excelente. Fiz uma espécie de coach e ele conseguiu pegar cada detalhe. Também acompanhei as filmagens. Quando o trailer foi divulgado, um dos meus filhos disse: ‘Pai, ele está igualzinho a você’. Me emociono quando falo sobre isso”, disse Arlindo à colunista Patrícia Kogut.
O longa, que, por questões de direitos autorais, apresentará o palhaço como Bingo, mostra cenas de Arlindo usando drogas antes de entrar no palco. No entanto, ele nega. “Isso é ficção. Não acontecia. Por dia, eram quatro palcos com participantes de excursões de quatro escolas. Um calor insuportável. Não teria como fazer o programa drogado”, conta ele, que atua no filme como o homem que evangelizou o protagonista.
Hoje pastor, Arlindo teve como exigência para a realização do filme mostrar sua conversão. Ele se rendeu a Jesus Cristo depois de um grave acidente de carro, quando ainda interpretava Bozo.
“Se o longa ficasse folia por folia não teria propósito. Queria mostrar o poder que Deus tem. Antes, acreditava que, se chegasse ao topo do sucesso, conquistaria a paz que tanto sonhava. Mas caí numa roda viva que foi justamente o contrário. Quanto mais trabalhava, mais distante eu ficava da minha família. Minha primeira mulher saiu de casa com meu filho. Desci toda a escada da fama, fiquei deprimido. Usei cocaína e entrei no buraco negro. Tentei ajuda em várias terapias e não encontrei. Quando me recuperei do acidente, me vi sem família, sem nada”, ele lembra.
“Fui para a igreja e reencontrei o pastor que havia me ajudado no hospital. Ouvi a palavra de Deus, que tem uma força espetacular. Não senti mais vontade de beber, fumar maconha ou usar cocaína. Isso modificou a minha vida. Queria falar de Jesus na TV e não deixaram. Então, eu disse tchau”, afirma Arlindo, que hoje tem 63 anos.
O ex-Bozo diz que sente apenas saudades do trabalho quando se lembra daquele tempo, mas não se orgulha da vida glamourosa regada a festas e mulheres. Atualmente, faz turnês com seu espetáculo de comédia religiosa “Mr. Clown”.
“É um trabalho social. Não cobro ingressos, mas alimentos e roupas. Estou à espera de um convite para voltar à TV. Sou ator, já atuei em novelas e gostaria de fazer dramaturgia. Não reeditaria o Bozo porque acho que não vingaria. As crianças de hoje mudaram”, ele conta.
Relembre:
Com informações Guiame
Imagem: Reprodução

Jornalista Alexandre Garcia critica ideologia de gênero: “Nascemos machos e fêmeas”

“Nascemos machos e fêmeas. É um fato biológico. Não é a ideologia que marca o nosso sexo”, destacou Alexandre Garcia em uma declaração que se tornou viral nos últimos dias.
Um áudio gravado por Alexandre Garcia, no qual ele fala sobre os perigos da ideologia de gênero se tornou viral nos últimos dias, acumulando milhões de visualizações nas mídias sociais. Logo no início de sua declaração, o jornalista deixa claro que ele seu alerta está totalmente baseado em uma nota oficial da Associação Americana de Pediatria e do Chefe da psiquiatria do Hospital da Universidade John Hopkins.
“Todos nascem com sexo biológico. Como no reino animal, na classe dos vertebrados, mamíferos, na ordem dos primatas, na família dos hominideos e aqueles do gênero humano (é isso o que diz a Biologia), nascemos machos e fêmeas. É um fato biológico. Não é a ideologia que marca o nosso sexo”, disse o jornalista explicando as declarações contidas na nota oficial.
O jornalista também destacou outra informação sobre a malformação de órgãos genitais, que poderia refutar um argumento comumente usado pelos apoiadores da ideologia de gênero.
“Ele [presidente da Associação Americana de Pediatria] lembra que transtornos de malformação são extremamente raros, transtornos biológicos, fisiológicos e não constituem um terceiro sexo. ‘Ninguém nasce com gênero, nasce com sexo’, diz a a Associação Americana de Pediatras”, acrescentou.
“Os gêneros masculino e feminino só existem na Gramática. O sapato é do gênero masculino, a cadeira é do gênero feminino. Na Biologia, não. Na Biologia temos sexo: machos e fêmeas”, lembrou.
Alexandre Garcia também citou o alerta da nota oficial, que trata do uso de bloqueadores de hormônios na puberdade ou a modificação destes, o que pode ser prejudicial à saúde do “paciente”.
“Hormônios como testosterona dado para a menina e estrogênio dado para o menino, aumentam a pressão cardíaca, causam coágulos na circulação, podem causar AVC, câncer e o índice de suicídio é 20 vezes maior com o uso de hormônios do sexo oposto”, destacou.
Contexto
O alerta repassado pelo jornalista Alexandre Garcia veio à tona em um contexto realmente alarmante. Além dos perigos destacados pela Associação Americana de Pediatras dos EUA – que consideram a ideologia de gênero e os procedimentos resultantes dela como um “abuso infantil” – o Serviço Nacional de Saúde no Reino Unido registrou em dezembro de 2015, um aumento de mais de 1.000% de crianças tratadas devido ao transtorno de identidade de gênero.
No Brasil, a ideologia de gênero já foi proposta por lei, integrar o Plano Nacional de Educação (em escolas de todo o país), mas foi rejeitada, inicialmente em âmbito federal e posteriormente pela maioria dos municípios onde foi votada nas câmaras de vereadores.
Representantes como a psicóloga Marisa Lobo, Claudemiro Ferreira, Magno Malta, Guilherme Schelb e professor Orley Silva, entre outros, têm se empenhado em combater incansavelmente a iodelogia de gênero no Brasil.
A psicóloga paranaense chegou a lançar um livro que alerta sobre o tema, intitulado “Ideologia de Gênero na Educação”. Segundo ela, a proposta não consiste apenas na desconstrução da sexualidade, mas resulta na desconstrução do ser humano em si.
“Eles querem dizer que a heterossexualidade não existe, que ela não é normal e que é uma ‘norma imposta’, ‘compulsória’. Isto é dito pelos livros que advogam em favor da ‘Teoria Queer’ de desconstrução. Esta é uma teoria sobre a qual todos deveríamos saber. Ela desconstrói a fé, desconstrói Deus, desconstrói a sexualidade, a sociedade”, alertou.
Com informações Guiame
Imagem: reprodução web

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

‘Chiquinha’ se converte a Jesus e demonstra frutos do evangelho

De acordo com o site Mundo Cristão, a atriz Maria Antonieta de las Nieves, conhecida como Chiquinha no programa do Chaves, aceitou a Jesus em seu coração no festival evangelístico realizado por Luiz Palau em Nova York em junho de 2012.
O site Fox News Latino, afirmou que Maria Antonieta, participou do evento evangelístico, o tradicional Harlem’s Hispanic Christian, realizado em junho de 2015. Ela revelou sua converção ao cristianismo ao pastor Rubén Proietti, presidente da Aliança Cristã das Igrejas evangélicas da república da Argentina (ACIERA). Um membro filiado a equipe evangelística de Luis Palau, testemunhou que Nieves, “arrancou” de suas mãos o livro evangelístico que eles entregam aos que fazem oração por salvação.

“Logo veio a confirmação de que havia acontecido a decisão. Imaginem nossa alegria”, disse Proietti.
Ao que parece essa decisão tem frutos, a famosa atriz participou de um festival no Paraguay no fim de semana passado. Nieves foi convidada pelo evangelista paraguaio, Juan Cruz Cellmmare. Ambos visitaram escolas e a penitenciaria de mulheres em El Buen Pastor de Assunção.
No patio do central da penitenciária “Chiquinha” compartilhou uma mensagem de esperança com centos de presidiárias presentes.
Nieves permitiu que todas pudessem tomar fotos e cumprimentou uma por uma, afirmou a publicação do diário argentino Día a Día.
“Quero dizer a vocês que estou muito feliz por estar aqui. Quando me disseram que viria ao Paraguai eu disse, Yupi! Bendito seja Deus”, disse a atriz.
O evangelista paraguaio relatou que logo depois das atividades na penitenciária, em uma entrevista aos jornalistas, Nieves colocou a bíblia em seu peito e disse que através de Deus e Sua palavra é que vidas podem ser transformadas. Ela prometeu a Cellammare falar de Jesus em todos os lugares.
Com informações Púlpito Cristão
Imagem: reprodução web

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

ONU votará resolução para fazer uma “lista negra” e boicotar empresas judaicas em Israel

O embaixador de Israel na ONU, Danny Danon, reagiu fortemente à votação iminente e comparou a resolução aos “períodos sombrios da História”, nos quais judeus eram fortemente discriminados
A Organização das Nações Unidas irá votar nesta semana, uma resolução para implementar uma “lista negra” de empresas que operam direta ou indiretamente na Judeia, Samaria, Golã e Jerusalém Oriental. Apresentada pela Autoridade Palestina e pelos Estados árabes e aprovada por unanimidade em março, a proposta visa impor sanções sobre empresas comandadas por judeus em Israel e também a companhias que queiram estabelecer comércio com assentamentos israelenses destas regiões.
O embaixador de Israel na ONU, Danny Danon, reagiu fortemente à votação iminente e comparou a resolução aos “períodos sombrios da História”, nos quais judeus eram fortemente discriminados.
“Não nos calaremos perante este passo vergonhoso”, disse Danon. “A vontade da ONU de fazer uma lista negra de empresas judaicas ligadas a Israel e boicotá-las é uma forte lembrança dos períodos sombrios da História”.
O embaixador também acusou o Conselho de Direitos Humanos [criado pelos Estados-membros da ONU] de tornar-se um grupo antissemita.
“Sabe-se que o Conselho de Direitos Humanos tornou-se um corpo antissemita e anti-Israel, mas não pode ser que a ONU continue a ajudar neste processo surreal”, protestou.
A reivindicação de Danon contra a ONU ocorreu depois que seis resoluções anti-Israel foram aprovadas na última quarta-feira. As medidas incluíram um apelo à “intensificação dos esforços… para a conclusão de um acordo final de paz”.
Outra resolução refere-se a Israel “como a potência ocupante, que impoe suas leis, jurisdição e administração sobre a Cidade Santa de Jerusalém”, chamando essas ações de “ilegais”.
Outra medida ainda exige que Israel se retire do “Golã sírio” e devolva “o território ocupado em 4 junho de 1967”.
A ONU também criticou uma votação realizada na última quarta-feira no Knesset (Parlamento de Israel), que mesmo com um resultado apertado (58 votos a favor e 51 contra), aprovou um projeto de lei que legalizará 4.000 casas de judeus, que já foram construídas em Judá e Samaria. O projeto precisa de mais dois votos antes de se tornar lei oficialmente.
“Exortamos veementemente os legisladores a reconsiderarem o seu apoio a este projeto de lei que, se promulgado, teria consequências de longo alcance e prejudicaria gravemente a reputação de Israel em todo o mundo”, afirmou o alto-comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra’ad Al Hussein. “Israel, como potência ocupante, deve respeitar a propriedade privada dos palestinos, independentemente de receber ou não uma compensação por isso”.
Com informações Guiame
Imagem: Times of Israel

Jornada no universo fortaleceu fé de astronauta: “Impossível não acreditar em Deus”

O astronauta John Glenn morreu na quinta-feira dia 8, aos 95 anos, nos Estados Unidos. Ele foi o primeiro norte-americano a viajar na órbita da Terra, em 1962, e foi conhecido como um homem de profunda fé.



"Olhar para este tipo de criação e não acreditar em Deus é impossível", disse Glenn aos repórteres em 1998, logo após retornar de sua última viagem ao espaço em 77 anos. "Isso só reforçou a minha fé".
Em seus vôos espaciais, o astronauta revelou que orava todos os dias. Em terra firme, ele era um cristão devoto que fazia parte da Igreja Presbiteriana. Além de sua carreira no espaço, ele dedicou vinte e cinco anos de sua vida como senador do estado de Ohio, pelo Partido Democrata.
Como primeiro americano a orbitar a Terra, Glenn foi um exemplo não apenas por sua perspicácia científica, mas também por sua fé, disse o cientista Mark Shelhamer nesta quinta-feira.
"John Glenn sempre foi um exemplo paradigmático de alguém que tinha uma firme fé antes de ser um astronauta, e que teve a fé fortalecida em sua experiência no espaço", disse Shelhamer, que é professor de medicina da Universidade Johns Hopkins e chefe de pesquisa no Centro Espacial da NASA.
Assim como Glenn, muitos astronautas aprofundaram sua fé em Deus com suas experiências no espaço. James Irwin voltou da lua convencido de que deveria dedicar sua vida a Cristo e fundou a organização evangelística High Flight Foundation. Ele morreu em 1991, com 61 anos.
Buzz Aldrin, que era líder na Igreja Presbiteriana, decidiu realizar a santa ceia como um de seus primeiros atos na lua. "Na gravidade da lua, o vinho foi colocado lentamente no copo", disse ele mais tarde, descrevendo o momento.
Em uma entrevista concedida por Glenn no ano passado, o astronauta defendeu a inclusão do evolucionismo nas escolas públicas. "Eu não sou menos religioso por apreciar o fato de que os registros da ciência mudam com o tempo, isso é um fato. Isso não significa que não pode haver algum poder maior do que nós, que está por trás de tudo o que está acontecendo”, disse ele à Associated Press.

***
Guiame

Reformado ou deformado? Algumas reflexões sobre teoria e prática

image from google

Temos acompanhado atualmente um grande número de evangélicos, especialmente os jovens, aderindo às doutrinas reformadas como modelo doutrinário. Isto nos alegra, pois é sempre bom ver crentes querendo conhecer mais a Deus através do arcabouço de teses reformadas. Porém, o que de um lado nos traz alegria, por outro lado gera uma preocupação enorme ao constatarmos que muitas dessas adesões são feitas apenas por modismo (pra onde a galera tá indo, eu também vou). Poderiam perguntar: "Mas não é bom, pois no meio disso tudo tem gente comprometida?". Seria, se esta adesão fosse simplesmente fogo de palha, mas não é. E pior, é uma adesão sem compromisso com os princípios bíblico-reformados. E isto causa uma anomalia, uma deformação, um reformado longe do Sola Scriptura, um cristianismo sem Cristo, um ateísmo prático. Verdadeiras deformações. Estas manifestações não só passam longe dos princípios da reforma como fazem muitos se afastarem deles. Há também aqueles que já vivem em igrejas reformadas e até professaram a fé, acham bonito o modelo reformado, mas na prática, vivem do jeito que querem e não desejam prestar contas a ninguém.

Onde quero chegar? No simples fato de que é moda se dizer reformado, mas viver de acordo com isto são outros quinhentos. Ou seja, por mais que se diga cristão reformado e até professe publicamente tal fé, é no viver que isto vai se manifestar. O grande estopim disso tudo é que, quando se trata de viver as Escrituras, começa-se a relativizar as Escrituras. "Eu sei que a Bíblia diz assim, mas não tem nada demais." E, assim, de nada demais em nada demais, vai se tentando fazer largo um caminho que é estreito, e forçar uma porta também estreita. 

Quando se pergunta a posição de um crente sobre determinado assunto, a resposta começa assim: "Na minha opinião...", quando deveria ser: "Conforme as Escrituras..". E, assim, poderíamos expressar melhor a unidade do pensamento cristão sobre família, governo, trabalho, descanso e muitos outros assuntos presentes em nossa vida e que fazem parte de nossa estada neste mundo. 

Quando trocamos a Escritura pelo que achamos, caímos no pecado da idolatria e passamos a viver como senhores de nossas vidas. Não, não é assim, pois o "sola scriptura" (2 Tm 3.14-17) deve ser uma constante em nossas vidas e viver longe disso só vai trazer juízo (Os 4.6). Ao colocarmos as Escrituras acima de nosso pensar, glorificamos a Deus, mortificamos nossa carne e vivemos, na prática, o lema igreja reformada sempre reformando. O oposto também causa prejuízos enormes: à igreja, pois um testemunho de vida longe das Escrituras afeta a todos os membros; ao crente que vive longe dos princípios das Escrituras; e também aos perdidos, que em vez de serem exortados a confessarem e se arrependerem de seus pecados, são estimulados a continuar atolados em sua miséria por cristãos deformados em suas práticas de vida. Será que pensamos nisto quando mantemos ou estimulamos crentes a namorarem descrentes? A Bíblia é clara quando diz não haver comunhão entre luz e trevas. Mas, mesmo assim, muitos jovens enveredam por esses caminhos, e quando são exortados, sejam por pais ou por outros crentes, se dizem julgados e não admitem estar fazendo nada de errado. Sexo antes do casamento? Como Deus pode reprovar o amor? Estes são apenas alguns exemplos. No seu livro Ouro de Tolo (p. 13), publicado pela Editora Fiel, John MacArthur afirma que 

"De fato, o discernimento está tão na moda quanto a verdade absoluta e a humildade. Fazer distinções e julgamentos claros contradiz os valores relativistas da cultura moderna. O pluralismo e a diversidade tem sido exaltados como virtudes mais elevadas do que a verdade. Não devemos estabelecer limites definitivos ou afirmar qualquer absoluto. Isto é considerado retrógrado e deselegante. E, embora esta atitude para com o discernimento bíblico seja esperada do mundo secular, ela tem sido cada vez mais abraçada por um número cada vez mais de cristãos evangélicos."

O livro é de 2005, mas mostra claramente o mal que assola o evangelicalismo brasileiro.

A vida de renúncia está cada vez mais longe dos cristãos modernos. Parece até que textos como Mt 16.25 e 1 Pe 3.8-17 sumiram das Bíblias do povo. Queremos viver uma vida nos regalando do bom e do melhor por aqui, como se isto fosse tudo que temos. A filosofia do "comamos e bebamos que amanhã morreremos" tem afetado os crentes, e estes tem corrido desenfreadamente atrás do tesouro corruptível e deixando o que tem realmente valor em segundo plano (Mt 6.20). É promoção no trabalho, melhores salários, aquisição de mais bens de consumo, nem que pra isso morramos de trabalhar relegando a família, o descanso e o Dia do Senhor. Como pais dizemos que queremos nosso filhos crescendo piedosamente, mas os entupimos de atividades, preparando-os para este mundo e não para glorificar a Deus neste mundo; dizemos querer nossas filhas sendo esposas submissas e piedosas, mas na prática, enfatizamos o curso superior que ela deve fazer do que qualquer outra coisa. Estas coisas citadas são legítimas, mas se colocadas em primeiro plano desonram a Deus, afastam o crente do culto, pois a atividade (ou trabalho para os adultos) é sempre mais importante. Queremos uma igreja fiel às Escrituras, mas relativizamos a aplicação dos princípios bíblicos por medo de perder membros e a disciplina, uma das marcas distintivas de uma igreja, vai se tornando peça de museu.

No aspecto litúrgico, os cultos tem sido cada vez mais centralizados no homem, as celebrações tem sido cada vez mais transformadas em shows, pastores e cantores se fazem artistas se apresentando, enquanto o público sai satisfeito por ter visto o espetáculo da fé. Lamentável! O Soli Deo Gloria há muito tem dado lugar ao glória ao homem. O pecador, em vez de ser confrontado com seu pecado, tem seu ego massageado, o crente, em vez de prestar um culto a Deus, quer receber entretenimento de qualidade. Sobre este assunto, e falando especificamente sobre pregação, MacArthur diz:

"A pregação 'sensível aos interessados' nutre pessoas centralizadas em seu próprio bem estar. Quando você diz às pessoas que o principal ministério da igreja é consertar para elas o que estiver de errado nesta vida - suprir suas necessidades, ajudá-las a enfrentar seus desapontamentos neste mundo e coisas assim - a mensagem que você está enviando é que os problemas desta vida são mais importantes do que a glória de Deus e a majestade de Cristo. Novamente, isto corrompe a verdadeira adoração."

O cenário é caótico. Em vez de reformados, temos verdadeiros cristãos deformados. Mas Deus é fiel com a sua Palavra e sustenta seu povo. Mesmo em meio ao caos, o remanescente é sustentado (veja o exemplo do profeta Jeremias), Josué e Calebe, entre outros. Todos estes testemunharam momentos terríveis de desobediência na história do povo de Deus, mas foram sustentados por Deus e se mantiveram firmes na fé. Assim tem sido com pastores e igrejas que, mesmo em meio às dificuldades, pecado e apostasia, mantem-se fiéis a Deus, aos princípios bíblicos e confessionais, sendo sal e luz neste mundo mergulhado na podridão do pecado. Jovens buscando relacionamentos saudáveis, castos e santos. Mulheres submissas aos seus maridos e homens que amam suas esposas a ponto de dar a sua vida por elas, e assim, refletindo a graça do amor de Cristo por seu povo. Pais que orientam seus filhos nos princípios bíblicos, no caminho em que devem andar, vendo-os crescer em estatura, graça e sabedoria, da qual o princípio é o temor ao Senhor (Pv 1.7). Cristãos comprometidos com o mandato cultural, manifestando a glória de Deus nesta sociedade pervertida, sendo bons servos, patrões, alunos, professores, motoristas, e em tudo que Deus nos colocar, a fim de glorificar o seu santo nome. Deus nos conduza a estar neste rol. Através da santa reforma pela Palavra, abandonemos o conformar-se com o século (deformação), tomando a forma de Cristo (2 Co 3.18), para a glória d'Ele.

Deus nos abençoe!
***
Autor: Presb. Cicero Pereira
Fonte: UMP da Quarta
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...