sábado, 3 de dezembro de 2016

O que nunca dirão em uma clínica de aborto

Pregnant woman and child
O ABORTO PODE PREJUDICAR SUA SAÚDE.
Muitas pessoas acreditam que abortar é tão fácil como extrair um dente. Muito pelo contrário, o aborto é um procedimento muitíssimo delicado, que pode ter graves conseqüências. O pessoal encarregado desta prática insiste em minimizar as complicações ou simplesmente afirmar que não existem. Isto não é verdade. O fato é que muitas mulheres têm sofrido danos físicos em conseqüência de abortos provocados “legalmente’.
O músculo cervical pode sofrer dano, pois o colo do útero (cérvix) é forçosamente dilatado. Isto significa que numa gravidez futura há grande possibilidade de se perder o bebê por aborto espontâneo ou parto prematuro. O dano ocasionado nas paredes uterinas é outra preocupação. Perfurações do útero, infecções, hemorragias e coágulos de sangue são apenas algumas das complicações que você poderá sofrer em um aborto provocado. Ainda que você possa sair aparentemente “bem” de um aborto provocado, no futuro poderá apresentar problemas de esterilidade, gravidez fora do útero ou freqüentes abortos espontâneos.
Algumas mulheres só engravidam uma vez na vida. Quem sabe seja este o único bebê que você poderia ter! Um aborto aumenta a possibilidade de não tornar a engravidar quando desejar ter um filho. Você quer mesmo correr este risco?
O ABORTO DEIXA CICATRIZES EMOCIONAIS.
É muito comum que uma mulher sofra as conseqüências de sua decisão poucos dias depois de ter abortado. Se estas conseqüências não aparecem imediatamente, virão com o tempo. Os problemas emocionais se manifestam de várias formas: uma depressão inexplicável, seu afastamento das demais pessoas, emoções reprimidas, endurecimento do instinto maternal (que pode resultar no abuso ou descuido dos filhos que a mulher ainda possa ter), fortes sentimentos de culpabilidade e até mesmo pensamentos de suicídio. Não se deixe enganar. Cada aborto provocado acarreta conseqüências emocionais graves.
UM ABORTO PROVOCADO MATA O BEBÊ.
Antes de você saber que está grávida, o coração do novo ser já terá começado a pulsar. Com seis semanas de desenvolvimento já é possível detectar ondas cerebrais e o bebê se move e responde ao tato. Com oito semanas, o bebê está perfeitamente desenvolvido, com os dedos das mãos e dos pés, e já apresenta as suas próprias impressões digitais.
Na décima semana, já pode franzir a testa, levar até a boca e chupar o seu dedo polegar. Se você tocar suavemente seu nariz, ele moverá a cabeça. Entre a décima – primeira e duodécima semana, todos os sistemas do seu corpo estão presentes e funcionando. Tudo o que necessitará, daqui para frente, para ser um recém-nascido saudável, é questão de tempo e nutrição. Nenhum órgão ou sistema se desenvolve mais, nele, depois de doze semanas.
O ABORTO É UMA VIOLÊNCIA.
O método de aborto mais comum em gravidez de poucas semanas é o de “sucção por aspiração”. O colo uterino é dilatado à força. Então um aspirador com uma potência 29 vezes maior que a de um aspirador doméstico é usado para sugar “o conteúdo do útero”.
O método chamado “D & E” é usado em gravidez de quinze semanas ou mais. Como no método de sucção, o bebê é cortado em pedaços. Neste caso, o “médico” usa um instrumento especial para separar os braços e as pernas do resto do corpo. Em seguida pressiona sua cabeça para sugar o cérebro e esmagar o crânio. Só então continua retirando o resto do corpo.
Outro método empregado para abortar, depois de 15 semanas, utiliza uma solução salina, injetada no saco amniótico, causando envenenamento ao bebê. Isto também queima a camada externa de sua pele. Por mais de uma hora o bebê entra em convulsão, até morrer nessa agonia. Agora a mãe já pode dar à luz um bebê martirizado… e morto.
Ao aborto praticado no último trimestre da gravidez denomina-se “histereoctomia”. Consiste em se fazer uma incisão no abdômen da mãe, para retirar o bebê do ventre materno e deixá-lo morrer por si mesmo.
O ABORTO EXPLORA A MULHER.
Os conselheiros das clínicas de aborto usam termos obscuros como “produto da concepção”, “conteúdo do útero”, “tecido fetal” etc., para referir-se ao bebê. Raramente aconselharão você a continuar com a gravidez, pois para eles o aborto é um negócio, cujo propósito é auferir lucros. Diríamos então que eles estão se aproveitando de seu problema, isto é, explorando-a, para ganhar dinheiro.
Quem ministra o aborto ganha mais dinheiro em 30 minutos do que durante os nove meses da mulher engravidada. Eles não pensam em você… Mas só no dinheiro que podem conseguir à sua custa.
HÁ ALTERNATIVAS PARA O ABORTO.
Existem muitas organizações que podem oferecer um apoio prático em caso de gravidez inesperada: oferecem, por exemplo, roupas para a mãe grávida e para o bebê que vai nascer, residência, cuidados pré-natais e ajuda econômica. Também oferecem conselheiras que podem ajudá-la durante esse período difícil.
Por favor, pense cuidadosamente em seu futuro. A decisão que você tomar agora vai afetá-la para todo o resto de sua vida. Se você não está segura ainda sobre a decisão de abortar, conceda a você mesma uns dias mais, e pense seriamente. Não permita que ninguém a pressione a tomar uma decisão demasiado rápida, para a qual não se sinta devidamente preparada.
Procure ajuda. Você não está sozinha. Há muita gente que pode e quer ajudá-la e vai dizer sempre a verdade que você precisa saber a respeito de aborto.
Esta é uma decisão muito difícil de fazer. Por favor, seja madura. Só uma pessoa imatura pensa unicamente em si mesma. Este folheto não foi escrito por nenhum militante de uma organização pró-vida, nem por una avozinha de sessenta anos que nunca enfrentou o problema de uma gravidez inesperada. Foi escrito por uma jovem mulher de dezoito anos, que também já ficou grávida. Uma mulher que tinha medo de enfrentar sua gravidez, como acontece com você agora, e que decidiu abortar.
Nove anos depois, inteiramente arrependida, agora entendo o que fiz e o que deveria ter feito. Por esta única razão, eu gostaria que você soubesse…
…O QUE ELES NÃO ME DISSERAM
Com informações Púlpito Cristão
Imagem: Reprodução
Via CCNews

Hélio Neto, um dos milagres da tragédia Chapecoense

O trágico acidente aéreo do time de futebol Chapecoense deixou espaço para um milagre: sobreviventes, dentre eles o jogadores Alan Ruschel, Neto e Follmann, o jornalista Rafael Henzel e os comissários de bordo Erwin Tumiri e Ximena Suarez.
Todos resgatados entre os restos do avião que transportava o time de futebol para Medellín, Colômbia, onde ia disputar a final da Copa América contra Atlético Nacional.
Hélio (o último sobrevivente encontrado), foi encontrado por volta das 9h40 (horário de Brasília), depois que as buscas haviam sido suspensas devido as condições climáticas, e recebido pela equipe médica do Hospital San Juan de Dios, em La Ceja (Colômbia). Com hematoma no cranio, no abdômen e tórax, o jogador passou por cirurgia com intervenções de neurologista, otorrinolaringologista, cirurgia geral e ortopedia.
Horas antes do voo, já no aeroporto de Guarulhos, contou como sentiu ao cuidado de Deus durante a recuperação de uma lesão que sofreu recentemente.
“A gente imagina que algumas coisas vão acontecer, tanto para o bem quanto para o mal. Tive um momento de lesão, uma lesão importante, e eu não imaginava. Não imaginava que as coisas fossem acontecer tão bem como aconteceram. Foi um momento que Deus colocou na minha vida”, disse o zagueiro
Oremos pela recuperação dos jogadores Hélio, Alan, Follmann, Rafael e os comissários Erwin e Ximena, sobreviventes deste trágico acidente.
Assista o vídeo:

Por Jonara Gonçalves
Redação CCNews | VINACC
Imagem: Reprodução web

Cristãos iraquianos louvam e oram a Deus por 100 horas seguidas

IRAQUE – Um grupo de cristãos, vítimas da guerra no Iraque, se reuniram durante 5 dias em oração e clamor a Deus, perto do lugar de conflito entre os exércitos iraquianos e Estado Islâmico.
O evento de clamor a Deus, foi organizado pelo Ministério “Burn 24-7”, uma organização com sede nos Estados Unidos, que surgiu de um movimento universitário e agora é dirigido pelo missionário e ministro de louvor, Seun Feucht e esposa Kate, vinculados a Igreja Bethel, em Redding, California.
O ministério envia equipe formada por pessoas do mundo todo para ensinar as verdades do Evangelio e o amor de Jesus. Cada equipe organiza eventos de oração e culto que pode durar de 12 a 100 horas seguidas.
“Procuramos realizar estes eventos com regularidade, uma vez ao mês na cidade, com o propósito de reunir cristãos de diferentes denominações para adorar e exaltar a Deus”, disse Kelsie, que trabalha com Burn 24-7em Kurdistão.
“O evento é evangelístico também. Não só oramos e cantamos, neste lugares sempre há pessoas para evangelizar e compartilhar o amor de Jesus, com o objetivo de que as pessoas recebam a Cristo, e reunir em um só lugar para desfrutar de sua presença”, disse Keslie a Christian Today.
“Nossos corações começam a arder pelo o que está ocorrendo aqui”, disse Keslie em 2014 quando militantes do Estado islâmicos invadiram planície de Nínive, norte do Iraque, matando milhares de pessoas e sequestrando mulheres e crianças.
O grupo sentiu a necessidade de comunicar que há esperança em Jesus e começaram a se mobilizar para ir até lá. “Em 2015, um pequeno grupo chegou aqui com objetivo de adorar e orar a Deus, amar a todos que cruzassem nosso caminho. Então anunciamos o amor de Cristo a todas as pessoas”, acrescentou Keslie.
Com informações Christian Today e  Acontecer cristiano
Tradução: Jonara Gonçalves
Imagem: Reprodução

Homem se converte a Cristo depois de encontrar página da bíblia em restos de incêndio

Varios incendios se formaron en la zona de Gatlinburg, Tennessee
O dia em que muitos dos incêndios surgiram em Gatlinburg, Tennessee (Estados Unidos), Isaac McCord estava fazendo sua parte para ajudar, recolhendo os resíduos do parque de Dollywood.
Com uma ferramenta para recolher folhas, voltou a passar pela mesma cerca chamada Craftsman Valley, e não ouviu os colegas de trabalho zombando de sua insistência em deixar tudo impecavelmente limpo.
A minuciosa limpeza o levou a encontrar debaixo de um banco do parque, um pedaço de papel que estava numa poça de água, queimado e partido ao meio.
McCord disse que não tinha idéia do que estava escrito no pedaço de papel, levando em consideração a circunstância, tinha curiosidade de saber o que dizia.
“Quando agachei, me dei conta que era uma folha da bíblia”, disse McCord em entrevista telefônica na terça-feira à noite.
“Esse pedaço de papel estava numa poça de água e disse, ‘Quero cuidar dela da melhor maneira’, então delicadamente a recolhi e levei cuidadosamente”.
McCord, de 24 anos, se sentou no banco onde encontrou o pedaço de papel e chamou um de seus colegas de trabalho.
A MESAGEM
A passagem que McCord que era possivel ler está em Joel 1:19, que diz: “A ti, Senhor, eu clamo, pois o fogo devorou as pastagens e as chamas consumiram todas as árvores do campo”.
“Estávamos pensando, ‘Isto é surreal, é incrível’”, disse McCord. “Quando ambos terminamos a leitura, nos olhamos, e nunca esqueceremos aquele momento. Choraramos”.
McCord publicou em Facebook um texto e a foto da página da bíblia carbonizada, e 4 horas depois, funcionários de marketing do Dollywood entraram em contato dizendo que a publicação tinha sido compartilhada mais de 50.000 vezes.
Com informações BTN
Tradução: Jonara Gonçalves
Imagem: Reprodução
Via CCNews

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

TRIBUTO A RUSSELL SHEDD (1929-2016)


Partilhar


Por Franklin Ferreira


No ano de 1993, Russell Shedd pregou sobre “avivamento bíblico” no seminário onde eu estudava – cursando, àquela altura, o segundo ano do curso de teologia.

Na capela do seminário, ele expôs textos de Isaías e Efésios. E durante aquela semana Deus se agradou de usar a pregação de seu precioso servo para me conduzir à ênfase na exposição das Escrituras, à fé reformada e ao anseio por um poderoso avivamento. E isso mudou completamente minha vida e ministério.

Infelizmente não estudei com Shedd, mas tive o privilégio de ouvir exposições bíblicas memoráveis, como a da epístola de Paulo aos Romanos (capítulos 1 a 11), na cidade de Campos dos Goytacazes-RJ, em julho de 1996. E nestes encontros ele sempre foi solícito, sentando com os jovens, ouvindo perguntas e algumas vezes dizendo, com uma simplicidade que nos deixava envergonhados, que não tinha resposta para algumas das questões que levantávamos. Especialmente sua humildade e mansidão sempre foram para mim motivo de admiração e exemplo.

Tempos depois, especialmente após começar a servir na Editora Vida Nova como consultor acadêmico, tive o privilégio de dividir o púlpito com ele em várias ocasiões, sempre dolorosamente humilhantes para mim. Eu lembrava constantemente do sentimento de inadequação do jovem diácono Eraclius diante do veterano bispo Agostinho de Hipona: “O grilo canta, o cisne está silencioso”.

Além disso, Shedd sempre me incentivou na área teológica, muitas vezes com elogios dos quais não me senti merecedor. Foi ele quem fez, em 1999, o prefácio da revista de EBD “Igreja cristã: das origens aos dias atuais”, que posteriormente foi ampliada e publicada como o livro “Igreja cristã na história”. Ele também prefaciou duas obras minhas, a “Teologia sistemática” (2007, escrita com Alan Myatt) e, mais recentemente, “Avivamento para a Igreja” (2015). Ele sempre lia as obras integralmente, fazendo questão de enviar sugestões e correções.

Que Deus receba glória pela fidelidade de Russell Shedd às Escrituras e ao evangelho de Cristo Jesus.
Agora, nosso irmão, Russell Shedd, foi revestido de incorruptibilidade e de imortalidade “graças a Deus, que nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo” (1Co 15.54-57), e aguarda a bendita volta de nosso salvador, para experimentar a ressurreição do corpo.

As palavras de John Bunyan ecoam bem neste momento solene:

“Entreguei minha espada àquele que me sucederá na minha peregrinação, e minha coragem e habilidade, àquele que as puder receber. Minhas obras e cicatrizes, levo-as comigo para testemunharem que travei as batalhas dAquele que me recompensará”.

“Assim ele se foi, e todos os clarins soaram para ele do outro lado”.


[Vídeo: em 18 de março deste ano Shedd conduziu o último momento devocional do Congresso Vida Nova, encerrando-o com as emocionantes palavras registradas]
***
Via facebook do autor, publicado aqui no Púlpito Cristão

Missionárias sobrevivem milagrosamente a ataque terrorista: “Jesus protegeu nossas vidas”

Seis missionárias estavam numa casa que foi atingida por bombas e devastadas pelas chamas. Mesmo com ferimentos, todas sobreviveram.
Uma unidade residencial que serve como moradia para mulheres que trabalham na organização “Bibles for Mideast” (Bíblias para o Oriente Médio, em tradução livre), um ministério que distribui bíblias na região, foi atacada no dia 18 de novembro por militantes islâmicos. Eles atiraram bombas, provocando um grande incêndio e ferindo gravemente duas mulheres.
Seis mulheres estavam dentro da instalação, no momento do ataque. Elas faziam parte do grupo em uma missão de evangelização no Oriente Médio, de acordo com o site do projeto. Dentre as duas mulheres feridas estava a ex-muçulmana Ramza. Ela foi morta pelo próprio pai, mas foi ressuscitada por Jesus Cristo.
As mulheres estavam dormindo quando as bombas foram arremessadas dentro da casa, as incendiando. As mulheres gritaram e tentaram sair da residência, mas algo muito pior do que o fogo as cumprimentou na porta: a visão de vários homens com armas de fogo, logo na entrada.
“Quando saímos, eles dispararam contra nós, então fomos forçadas a voltar para dentro da casa. Naquela altura, duas de nós já estávamos no chão com graves queimaduras”, lembrou Saleeha, uma das sobreviventes.
Vizinhos com armas de fogo vieram para ajudar as missionárias, forçando os atacantes a fugirem, de acordo com Saleeha. “Havia de cinco a sete militantes que vieram para nos matar. Vieram de motos, mas nosso Senhor Jesus Cristo protegeu nossas vidas”, disse ela.
“Cristo é nosso poderoso Salvador e Senhor”, afirmou Ramza. “Ele é poderoso para nos manter seguras. Se vivemos ou morremos, nós pertencemos a Ele”, ressaltou. As duas mulheres que ficaram gravemente feridas foram levadas para um hospital, enquanto as outras estão procurando outra casa para ficar.
Com informações Guiame
Imagem: Reprodução

Papa chama clero católico de rico e soberbo

O Papa Francisco continua surpreendendo a Comunidade Católica, com declarações nunca proferidas antes por um líder católico. Ao discursar no Vaticano para delegações de jesuítas de todo o mundo, Francisco criticou o clero e disse que ele é “rico” não apenas de “dinheiro”, mas também de “soberba”. O discurso se deu durante evento, da 36ª Congregação dos Jesuítas, quando o Sumo Pontífice discorreu para os presentes. As informações são da Agência italiana ANSA.
Com isso, segundo o papa argentino, o clericalismo é uma das piores formas de riquezas pelas quais a Igreja é acometida.
“O clericalismo é rico. E se não é rico de dinheiro, o é de soberba. Mas é rico, tem um apego às posses. Ele não se deixa ser criado pela mãe pobreza, não deixa que protejam o muro da pobreza. O clericalismo é uma das piores formas de riqueza pelas quais a Igreja é acometida, ao menos em alguns lugares da Igreja e mesmo nas experiências mais cotidianas”, afirmou o papa Jorge Mario Bergoglio.
O Papa Francisco, que se sentia em “casa” quando participa da 36ª Congregação dos Jesuítas, isto porque ele (Francisco), foi o primeiro jesuíta a ser eleito Papa, disse que “as críticas” feitas à Companhia de Jesus e a ele são “têm um sabor de tipo restauracionista. Vale a pena dizer que são críticas que desejam uma restauração. Por detrás da críticas, há este tipo de pensamento”, afirmou.
No encontro, Francisco também comentou que, atualmente, faltam políticos que lutam pelos seus ideais e incentivam o diálogo. “Em geral, a minha opinião é que os políticos caíram. Não há mais aqueles grandes políticos que eram capazes de serem levados a sério, de seguirem com seus ideais, de não temerem nem os diálogos e nem a luta e que também andavam adiante, com inteligência e com o carisma próprio da política. E sobre isso, acredito que as polarizações não ajudam. O que ajuda na política, ao contrário, é o diálogo”, disse Bergoglio.
Não foi a primeira vez que o Papa Francisco surpreendeu os católicos com suas declarações. Quem não se lembra do dia 22 de maio de 2013? Naquela data, o Papa Francisco chocou o mundo quando, em sua homilia, declarou que os ateus poderiam ser salvos se fizerem boas obras, porque Jesus morreu por todos…, contrariando o que diz Paulo em sua carta endereçada aos Efésios 2:8-10, que afirma claramente que a salvação é pela graça, por meio da fé, e não por obras (Efésios 2:8-10).
Por Gomes Silva
Com informações do Correio da Paraíba
Foto: Google Imagens
Via CCNews

03 coisas que a queda do avião da Chapecoense nos faz pensar



O Brasil acordou nessa manhã com a notícia de uma tragédia. O avião que transportava a delegação da Chapecoense caiu próximo a Medellín, Colombia, vitimando 76 pessoas, entre jogadores, comissão técnica e jornalistas. Milagrosamente cinco pessoas sobreviveram, tendo sido levadas para hospitais e clinicas da região.

A tragédia de Medellin, me faz pensar sobre a vida e sobre a sua brevidade, isto posto resolvi escrever três coisas que a tragédia do avião da chapecoense nos faz pensar:

1-) A vida é breve. Ela passa com uma rapidez enorme e numa velocidade espantosa. Veja o que Tiago fala a respeito disso:

"Atendei agora, vós que dizeis: hoje, ou amanhã, iremos para a cidade tal, e lá passaremos um ano, e negociaremos e teremos lucros. Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois apenas como neblina que aparece por instante e logo se dissipa. Em vez disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos como faremos isto ou aquilo. Agora, entretanto, vos jactais das das vossas arrogantes pretensões. Toda jactância semelhante a essa é maligna. Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz, nisso está pecando" (Tiago 4: 13-17)

2-) vida é incerta, dura e curta. Todos nós um dia enfrentaremos a morte. A questão é, se estamos ou não preparados para ela. As Escrituras afirmam que todos os homens são pecadores e que em virtude disto todos estão condenados, a não ser que Cristo os salve da morte eterna Perdoando os seus pecados.

3-) Todos nós estamos nas mãos de Deus. Pobres, ricos, brancos, negros, doutores, indoutos. Ele  é quem controla tanto a morte como a vida e nada foge ao seu domínio. 

Pense nisso!

Renato Vargens

DEZ PASSOS COM SPURGEON NA ESCOLA DO SOFRIMENTO


Partilhar7


Por Josemar Bessa

Nos dias de Spurgeon turistas americanos que retornavam da Inglaterra eram recebidos com duas perguntas: "Você viu a rainha?” e 'Você ouviu Spurgeon?'” "(AP Peabody," Spurgeon, " North American Review 86 [1858], 275). Na verdade, a memória do ministério de Spurgeon se tornou imortal.


Mas Spurgeon em si foi muito mortal. O pregador não foi de forma nenhuma à prova de balas. Na verdade, na maior parte de sua vida, Spurgeon cuidou de feridas profundas e lutou para lidar com uma miríade de doenças físicas e dramas emocionais.

Em 1867 Spurgeon sofreu seu primeiro ataque de nefrite crônica, ou doença de Bright (inflamação renal semelhante ao lúpus). Aos 35 anos ele foi diagnosticado com gota, uma inflamação das articulações ( numa época sem os alívios da medicina moderna). Em 1886, ele disse: "Quando eu estou nos dias mais difíceis da crise de gota, se alguém anda pesadamente e ruidosamente do outro lado da sala, eu sinto dor" ( MTP 49: 234). Em uma carta ao seu irmão, ele escreveu: "De tanta dor eu pensei que uma cobra havia me mordido e enchido minhas veias com veneno" ( Autobiography 3: 134).

Tantas dicas medicinais chegaram de amigos e familiares que Spurgeon disse que ele "estaria morto há muito tempo se tivesse tentado metade delas" ( ST 4, fevereiro de 1875).

Spurgeon também sofria de profundas crises de tristeza. "Não creio que haja qualquer pessoa neste lugar que já tenha tido ataques mais fortes de depressão de espírito do que eu mesmo tenho tido pessoalmente" ( MTP 15: 640). Depois de testemunhar sete pessoas pisoteadas até a morte, ele disse: "A simples visão da Bíblia me faz chorar – como posso pregar de novo?" ( MTP 37: 383-84).

Embora seja difícil diagnosticar os mortos, uma coisa é certa: Spurgeon viveu no centro das atenções e ao mesmo tempo da sombra profunda.

Em um sermão " Songs in the Night ", Spurgeon revelou a luta do cristão tentando louvar a Deus no escuro:

“É fácil cantar quando podemos ler as notas na luz do dia; mas é um cantor mais hábil aquele que pode cantar quando não há um raio de luz através da qual se possa ler, - que canta com o coração, e não a partir de um livro que ele possa ver, porque ele não tem meios de leitura, salvo o livro de seu próprio espírito vivo, de onde as notas de gratidão derramam cânticos de louvor na noite escura” ( MTP 44: 98-99).

O ministério de Spurgeon provocou um incêndio em todo o mundo porque foi forjado, com certeza, no fogo. "Eu acho que teria sido menos doloroso ter sido queimado vivo na fogueira do que passar por esses horrores e depressões de espírito" ( MTP 53: 137-38).

No entanto, mesmo no calor da crítica pública, assassinato de caráter, contratempos físicos e desafios emocionais, Spurgeon experimentou a bondade profunda de Deus.

Spurgeon viu as dificuldades como o martelo de Deus moldando pecadores em santidade e canalizou sua sofrimento em seus sermões. Não admira como a classe que trabalhava e sofria terrivelmente foi magnetizada por ele. "Você deve passar pelo fogo", disse ele, "se você quiser ter simpatia com outras pessoas que pisam as brasas" ( MTP 32: 590).

Aqui estão dez citações com seus contextos, forjados na bigorna da própria aflição de Spurgeon:

1. "A tempestade tem um gosto tênue em sua boca".

"Talvez, neste exato momento, no porão, ou em alguma cabine, nono meio do barulho e tumulto da fúria do oceano, quando muitos estão alarmados, há cristãos com faces calmas, esperando pacientemente a vontade de seu Pai, se deverá ou não andar em direção a porta do céu, ou para ser poupado para voltar à terra, no meio de provações e lutas da vida mais uma vez. Eles sentem que eles são bem tratados, eles sabem que a tempestade é um tênue sabor em sua boca, e que Deus o manterá e nada pode prejudicá-los; nada pode acontecer com eles, mas apenas o que Deus permitir ".

“Safe Shelter” (MTP 15, Sermon 902, p. 650).

2. "A maior bênção terrena que Deus pode dar a qualquer um de nós é a saúde, com exceção da doença".

"A saúde está diante de nós como se fosse a grande coisa a se desejar acima de todas as outras coisas. É assim? Atrevo-me a dizer que a maior bênção que Deus pode dar a qualquer um de nós é a saúde, com exceção de doença. A doença tem sido frequentemente mais útil para os santos de Deus do que a saúde. Se alguns homens, que eu saiba, pudessem ser favorecidos com um mês de reumatismo, seriam, pela graça de Deus, adocicados maravilhosamente. "

C. H. Spurgeon, “The Minister in These Times” in An All-Round Ministry (Banner of Truth, 2000), p. 384, italics in the original.

3. "Os homens nunca vão se tornar grande no conhecimento de Deus até que se tornem grandes em sofrimento".

"Os homens nunca vão se tornar grande no conhecimento de Deus até que se tornem grandes em sofrimento. 'Ah!' Lutero disse: 'aflição é o melhor livro na minha biblioteca;' e deixe-me acrescentar, a melhor folha no livro de aflição é a mais negra de todas as folhas, a folha chamada peso, quando o espírito afunda dentro de nós, e não podemos suportar como poderíamos desejar. E mais uma vez; esse peso é de uso essencial para um cristão, se ele será usado por Deus para o bem aos outros. . . . Não há nenhum servo de Deus tão suave como aqueles que foram esfolados. Aqueles que estiveram na câmara da aflição sabem como confortar aqueles que estão lá. Não acredito que qualquer homem vai se tornar um bom médico, a menos que ele ande nos hospitais com paciente; e tenho a certeza de que ninguém vai se tornar mais parecido com Cristo, ou tornar-se um Consolador, a menos que ele se encontre no hospital da vida, bem como caminhando através dele, e tendo que sofrer ele mesmo primeiro."

“The Christian’s Heaviness and Rejoicing” (NPSP 4, Sermon 222, p. 461).

4. "É melhor ser ensinado pelo sofrimento do que ser ensinado pelo pecado!"

"Talvez não haja nenhuma maneira de nos ensinar tão completamente a baixeza do nosso coração como quando somos deixados segundo nossos recursos; talvez nunca saberemos nossa loucura, a menos que soframos como um tolo desmascarado pela dor, mas oh nos livre, Senhor! Evite por tua graça! É muito melhor ser ensinado pelo sofrimento do que ser ensinado pelo pecado! Melhor sofrer no calabouço de Deus do que se deleitar no palácio do diabo".

“Hezekiah and the Ambassadors, Or Vainglory Rebuked” (MTP 12, Sermon 704, p.438).

5. "As nossas enfermidades se tornar o veludo negro sobre o qual o diamante do amor de Deus ainda parece mais brilhante".

"A graça é dada para nos livrar do pecado, que é uma grande bênção; mas o que é o bem maior da graça exceto quando ela está presente no momento em que o julgamento vem? Certamente, a graça que não permanece firme na hora da tentação ou aflição, é um tipo muito espúrio da graça; e é melhor se livrar dela, se nós a temas, pois não é verdadeira. Quando um filho de uma mulher piedosa morre, o marido infiel vê a fé da mãe sendo consolada na dor. Quando o navio vai para baixo e se perde no mar, o comerciante ímpios se surpreende com renúncia do comerciante que está em Cristo. Quando dores disparam através de nosso corpo e a morte medonha aparece a vista, as pessoas vêem a paciência do cristão morrendo. Nossas enfermidades se tornam então o veludo negro sobre o qual o diamante do amor de Deus se mostra mais intensamente brilhante. Graças a Deus eu posso sofrer, graças a Deus eu posso ser objeto de vergonha e desprezo; para, que desta forma, Deus seja glorificado. "

“A Wafer of Honey” (MTP 52, Sermon 2974, p. 80).

6. "Cristão, Jesus não sofreu de modo a excluir o teu sofrimento".

"Cristão, Jesus não sofreu de modo a excluir o teu sofrimento. Ele carregou uma cruz, não para que você possa escapar da sua, mas para que você possa suportar. Cristo nos isenta do pecado, mas não da tristeza. Lembre-se disso e espere sofrer ".

C. H. Spurgeon, Morning and Morning (New York: Sheldon and Company, 1865), April 5, p. 96.

7. "Não há Universidade para um cristão como a da tristeza e provação".

"Israel precisava adquirir educação. O Senhor não estava indo para levar uma multidão de escravos para Canaã... para se comportarem como escravos lá. Eles tiveram que ser tutelados. O deserto foi a Oxford e Cambridge para estudantes de Deus. Lá eles foram para a Universidade, e Ele os ensinou e os treinou, e tiveram que obter sua graduação antes de entrar na terra prometida. Não há Universidade para um cristão como o da tristeza e provação ".

“Marah Better Than Elim” (MTP 39, Sermon 2301, p.151).

8. "Há momentos em que não conseguimos mais chorar, mas o Espírito geme em nós".

"Não somos nós mesmos que choramos? Sim, com certeza; e ainda assim o Espírito clama em nós também. As expressões estão corretas. O Espírito Santo pede e inspira o clamor. Ele coloca o grito no coração e na boca do crente. É seu clamor e gemido porque Ele sugere, aprova e nos educa através dele. Nós nunca teríamos gemido assim, se ele não tivesse primeiro nos ensinado o caminho. . . . Há momentos em que não podemos chorar em tudo, e, em seguida, ele grita e geme em nós. Há épocas em que dúvidas e medos são abundantes, e assim nos sufocam com suas emanações que não podemos sequer levantar um grito, e então o Espírito que habita em nós nos representa, e fala para nós, e intercede por nós, chorando em nosso nome. "

“Adoption –The Spirit and the Cry” (MTP 24, Sermon 1435, p. 537, italics in the original).

9 . "Meu caro amigo, quando o teu sofrimento te leva para o pó, adorore lá!"

"Meu caro amigo, quando o teu sofrimento te pressionar e te levar para o pó, adore lá! Se esse lugar tem vindo a ser teu Getsêmani, então ali apresente teu grande clamor e lágrimas "ao teu Deus. Recorde as palavras de Davi, "eu derramo o meu coração," - mas não pare por aí, termine com ele, - “eu derramo o meu coração diante dele." Vire o recipiente de cabeça para baixo; isso é uma coisa boa para esvaziá-lo, pois essa dor pode fermentar em algo mais azedo. Vire o recipiente de cabeça para baixo, e deixe cada gota correr para fora; mas que seja diante do Senhor. 'Ó, derrame teu coração diante dele: Deus é o nosso refúgio. "Quando estão abatidos debaixo de um pesado fardo de tristeza, em seguida, se prostre e adore o Senhor em uma entrega total de si mesmo à vontade divina. "

“Job’s Resignation” (MTP 42, Sermon 2457, p. 134).

10. "Não tenha medo da tempestade, ela traz a cura em suas asas, e quando Jesus está com você no barco a tempestade somente acelera o navio para seu porto desejado".

"Eu, pregando a vocês nesta hora, quero dar o meu testemunho de que os piores dias que eu já tive, acabaram por ser meus melhores dias... e quando Deus parecia mais cruel para mim, ele então sido tem sido mais gentil. Se houver qualquer coisa neste mundo para o qual eu o adore mais do que por qualquer outra coisa, é pela dor e aflição. Estou certo de que nestas coisas o mais rico amor e ternura se manifestou para mim. Os vagões do Pai Nosso ressoam mais fortemente quando eles estão nos trazendo o frete mais rico da abundancia de sua graça. Cartas de amor do céu são muitas vezes enviados em envelopes negros. A nuvem que é negra com horror é grande com misericórdia. Não temas a tempestade, ela traz a cura em suas asas, e quando Jesus está com você no barco, a tempestade apenas pode acelerar o navio para seu porto desejado. "

“Ziklag; Or, David Encouraging Himself in God” (MTP 27, Sermon 1606, p. 373).

***
Fonte: Josemar Bessa, via Ministério Beréia

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Pastor de 98 anos lidera ministério de oração e evangelismo na Ásia

Apesar de idade avançada, pastor Tiddy Senapatiratne não considera isso um motivo para deixar de visitar e enviar cartas pregando o Evangelho no Sri Lanka
SRI LANKA –  Tiddy Senapatiratne, pastor de 98 anos, vive no Sri Lanka e mantém um ministério de intercessão e evangelismo no país. De acordo com o neto Kevin Senapatiratne, o evangelista não vê a velhice como obstáculo, para ele, é uma das razões para não deixar de exercer seu ministério.
“Aos 98 anos, dirige o grupo de intercessão e escreve cartas para ajudar outros pastores cristãos. Em sua mensagem, ele desafia as pessoas a seguir às Escriturar e viver com fé em Deus”, disse.
Numa das últimas cartas que escreveu à pastores e membros da igreja, pastor Tiddy destacou o grande tesouro que os cristãos tem atualmente, a Bíblia.
“Há algum tempo, escrevi em minha carta sobre a passagem que Deus nos manda meditar em sua Palavra dia e noite (Josué 1:8 e 9). Ele não somente nos mandou fazer isso, mas também deu promessas “, disse.
“Josué tinha 5 livros naquele momento, mas agora temos 66 livros (bíblia), para ler e obedecer. Também temos muitas outras promessas contidas neles. Deus nos ama tanto, e estou certo que você experimentaram esse amor de muitas formas, o talvez mais”, acrescentou.
Em sua carta, pastor Tiddy sublinhou que a leitura diária da bíblia é essencial para fortalecer a alma e amadurecer a vida cristã. “Devemos ler a Palavra de Deus com frequência, se possível todos os dias. Pelo menos uma porção diária. Isto nos fará mais fortes, e venceremos em nossa vida cristã”, disse.
O ministro citou o exemplo de um homem que leu a bíblia toda dezenas de vezes e fez dela a base mais importante de sua vida, conhecendo assim cada versículo da Palavra de Deus.
“Conheci um homem chamado Sr Leisser, que era dono de uma companhia inglesa no Sri Lanka. Me disse que tinha lido a bíblia 40 vezes. Ele a conhecia por completo, do inicio ao fim. Nós não precisamos fazer tudo isso, mas sim, devemos fazê-lo com frequência para a Glória de Deus e para a  salvação das almas, somos abençoados. Será útil aprender e recordar os versículos da bíblia”, disse.
Para sustentar sua tese, pastor Tiddy citou passagens de Hebreus 4:12, que diz: “Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração”.
“Pastor Tiddy também afirmou que não há desculpas para levar uma vida cristã acomodada”.
“Quando vemos o que ocorreu com os apóstolos de Jesus, não temos nenhum desejo de fazer o mesmo? Podemos dar desculpas, dizendo que vimos Jesus fazer tudo, mas e nós? Devemos pedir que Jesus nos dê uma visão e poder para fazer o mesmo, somos tijolos na construção de sua obra”, acrescentou, segundo a publicação de “Bíblias para o Oriente Médio”.
Com informações Bíblias para o Oriente Médio e Notícias Cristianas
Tradução: Jonara Gonçalves
Imagem: Reprodução
Via CCNews

No Brasil, pastores ficam em 3º lugar em pesquisa sobre confiança profissional

Pesquisa realizada pelo DataFolha revelou que o pastor é terceiro “profissional” mais confiável na opinião de brasileiros ouvidos em várias regiões do País. Perde apenas para médicos e professores.
Em conformidade com a pesquisa, os médicos conquistaram o primeiro lugar com 26%; os professores vêm em seguida com 24% enquanto que 15% consideram os pastores pessoas de confiança. Padres e policiais vem a seguir com 5%; juízes e jornalistas com 4%; engenheiros com 3% e políticos apenas 0,3%.
Esses números (15%) obtidos pelo pastor não causam surpresa, mesmo havendo no seio da liderança cristã aqueles que envergonham essa “classe”. Esses escândalos sempre aparecem atrevidamente no meio dos líderes que estão na grande Mídia, causando má impressão quanto aos demais líderes cristãos.
Entretanto, pode-se afirmar que a maioria absoluta dos pastores prima pela honestidade, integridade moral e espiritual e, principalmente pela seriedade com que pregam a Palavra de Deus. Por isso, o terceiro lugar do pastor em confiabilidade é um reconhecimento do povo brasileiros a tantos deles que estão nos mais diversos rincões deste País sem “serem vistos”. Muitos deles enfrentando situações adversas, porem firmes na convicção de sua chamada por Deus para ministério da pregação da palavra e do pastoreio de suas ovelhas.
Por Gomes Silva
Foto Google imangens
Via CCNews

Centenas de africanos decidem seguir Jesus


O ministério Cristo para Todas as Nações (CfaN) lançou um DVD e CD que contém a histórica experiência de adoração ao vivo no país Gana.
Este evento contou com a participação do evangelista Daniel Kolenda, presidente da CfaN, e cantores Roy Fields, Hope Darst, entre outros.
O projeto de discografia e audiovisual titulado “Terra Santa”, vem de um dos maiores movimento evangelistico.
O evento foi realizado em um “lixão municipal”, num bairro onde a criminalidade e pobreza tem alto índice. A equipe CfaN limpou e organizou o terreno para que o evento acontecesse ali.
Durante os dias de eventos, centenas de pessoas participaram dos cultos. Segundo os organizadores, 381.680 pessoas ouviram as pregações e decidiram servir e seguir Jesus.
“Este foi um dos projetos mais extraordinário e particularmente impactante que já participei. Para mim, o que aconteceu em Gana é na realidade uma imagem da Redenção. Jesus entrou no nosso caos e fez milagres, trocou cinzas por beleza e faz tudo novo. Quando escuto a música deste álbum, me faz regressar a África. Posso sentir a presença de Deus, a emoção no ar e a fé de que tudo é possível. É mais que um álbum, é uma experiência. Levará a quem o escute ao centro de um dos maiores eventos da história, onde literalmente milhares de pessoas foram salvas e nações estão sendo tocadas”.
“Terra Santa” foi coproduzida pelo ganhador do Grammy Latino que levou 6 vezes à esta nomeação, Carlson Barros, quem se sentiu honrado de ajudar a contar esta incrível história.
“Gravamos em uma das zonas mais remotas da África. Foi desafiador levar equipamentos extras e encontrar o lugar perfeito para colocar os microfones, músicos e instrumentos. Estou muito feliz em poder unir à gravação, a alta qualidade de áudio e a unção que tivemos, para produzir durante esta campanha evangelística na África”.
CfaN é uma organização missionárias não denominacional, com o objetivo de levar a mensagem do evangelho ao mundo. Também, é conhecida principalmente por suas históricas cruzadas evangelísticas na África e recentemente superou ao marco histórico de 75 milhões de conversões ao cristianismo que foram registradas e documentadas.
Com informações CBN – Mundo Cristão
Tradução: Jonara Gonçalves
Imagem: Reprodução

Assim, bela e moderada

image from google

Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia” (1 Timóteo 2:9)

Hoje eu me propus a tratar de um tema bastante pertinente e pouco tratado entre as jovens da nossa geração, venho falar sobre moderação nas vestimentas de uma mulher cristã, e quero me restringir apenas as mulheres solteiras, pois, o tema é bastante abrangente e enseja varias discussões, vou apenas tratar aqui, das jovens solteiras. Quero que vocês moças atentem para tudo que será dito neste texto, observem com atenção cada palavra, é muito importante que vocês compreendam que a forma como se vestem pode estar sendo pecaminosa, e este primeiro pecado seria o do adultério, mas, você pode estar agora se perguntando, se você é solteira, porque então, poderia haver o pecado do adultério? E eu te explico! Porque os homens, em geral, são muito mais afetados pelo que veem, do que as mulheres, roupas imoderadas podem ensejar no olhar pecaminoso de qualquer homem. O Senhor Jesus Cristo disse: “Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério. Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para cobiçá-la, já em seu coração cometeu adultério com ela”. (Mateus 5:27-28). Se um desejo lascivo como este é uma violação do sétimo mandamento, então, vestir-se intencionalmente de maneira que provoque ou estimule tal pecado, também deve ser pecaminoso. Por esta razão, o Catecismo Maior de Westminster mostra que o sétimo mandamento ensina “moderação no vestuário” (Resposta 138) e proíbe “imoderação no vestuário” (Resposta 139). As mulheres, em geral, são afetadas por uma combinação de estímulos, diferentemente dos homens. O desejo sexual é imediatamente despertado nos homens pelo olhar. “Fiz aliança com os meus olhos; como, pois, os fixaria numa virgem?” (Jó 31:1). Outros trechos da Escritura confirmam esta ênfase de que os homens pecam facilmente ao olhar para uma mulher. Não posso concluir também que haja má intenção em alguma irmã em Cristo em se vestir de forma imoderada, é meu dever como cristã em ser caridosa em meus julgamentos e atribuir as melhores intenções ao que os outros cristãos fazem. Eu tenho plena convicção de que há mulheres Cristãs que não tem a menor ideia do que causam nos homens com seu modo de vestir. Também sei que a responsabilidade da mulher é limitada e em alguns casos, exigir de uma mulher que evite toda a cobiça masculina, somente para se assegurar que não é ela quem está provocando é errado, sei que alguns homens podem cobiçar as mulheres não importando a forma como elas se vistam. O islamismo é um testemunho vivo do absurdo de se pensar que limites externos podem resolver o problema do pecado.

Em 1Timóteo 2:9, Paulo diz que, as mulheres devem se ataviar com “traje modesto”, vestindo-se “com pudor”. A ideia é de uma adequada reserva, com recato, sobriedade, moderação ou autocontrole. Por que então nos vestir? Referindo-se ao homem, antes da queda, lemos que “ambos estavam nus, o homem e a sua mulher; e não se envergonhavam” (Gênesis 2:25). Depois que Adão pecou, nos é dito que, “foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais” (Gênesis 3:7). E, depois, “fez o SENHOR Deus a Adão e à sua mulher túnicas de peles, e os vestiu” (Gênesis 3:21). É evidente que o propósito das roupas era cobrir, mesmo que houvesse apenas Adão e Eva naquele lugar. Quero deixar claro, que devemos reconhecer a beleza feminina, pois, a mesma foi dada por Deus, a própria escritura nos mostra mulheres bonitas como, Sara, Raquel e as filhas de Jó, e se vestiam com extrema moderação, a beleza feminina foi concedida por Deus, e dessa forma devemos dar o devido valor e reconhecimento a mesma, não é pecado que os homens a reconheçam. A Santa Escritura não condena roupas bonitas e não exige deliberadamente um caráter monótono na forma de se vestir.

Você jovem solteira pode me trazer o seguinte questionamento: “Como poderei eu, solteira, conseguir um marido se não me fizer atrativa?” E eu trago pra você a resposta dada pelo Rev. David Silversides para o mesmo questionamento: “Primeiro, vestir com modéstia não significa vestir roupas feias ou tristes. Moderação e bom gosto sempre serão 'o seu melhor aspecto'. Segundo, a atenção masculina que você atrair para si por vestir-se de forma indecente não vale um centavo. E qualquer marido, obtido por tais meios, não será um marido que lhe fará como esposo. Pois, um homem que é lascivo antes de se casar continuará lascivo depois das bodas. O casamento ajuda os homens a buscarem a santidade; casamento não cura os homens que não são santos. A atração sexual tem sua importância dentro do casamento, mas um homem piedoso a manterá em justa medida. Ele não sentirá necessidade de vê-la vestida de forma indecente para decidir se você seria uma boa esposa em todos os sentidos, incluindo o aspecto físico. Terceiro, o vestir imodesto irá desencorajar os homens de Deus que podem estar pensando e considerando esta mulher. Ele ponderará se você é alguém sério em seguir a Cristo e, ainda, se você vai se vestir assim depois de casada. Então, não há vantagem alguma para uma mulher cristã vestir-se imodestamente.”

Moças, vos trago o conselho de Elizabeth George: “A mulher que é bela aos olhos de Deus enfeita-se diariamente com roupas que não fazem parte de seu armário. Provérbios 31.25 diz: 'A força e a dignidade são os seus vestidos'. Esses dois preciosos ornamentos são as peças mais importantes da indumentária de nossa mulher virtuosa, porque são vestimentas de um caráter piedoso.” Quero vos dizer, que não se atenham a padrões de beleza estipulados pelos homens, quero vos dizer que a maior beleza que vocês podem ter está em ser uma mulher virtuosa, piedosa. Não venho aqui hipocritamente condenar a moda, pois me pego sendo vitima dela por muitas vezes, de mesma forma, não venho querer dizer para que vocês percam o seu desejo de vestir-se bem, de arrumar o cabelo, ou fazer uma bela maquiagem, mas digo, que vocês atentem a forma como se vestem, eu vejo igrejas que se tornaram desfile de moda no domingo, o dia sagrado do SENHOR. Moças o centro de suas vidas, não pode ser a roupa do próximo culto, ou do próximo encontro com as amigas. Chamo a atenção de vocês para uma leitura complementar do texto da minha querida amiga Sonaly Soares, “A SANTIDADE VOS TORNA BELA”, leiam com atenção, compreendam o quão bela vocês serão em santidade: “Portanto as pessoas mais bonitas que podem existir nesse mundo, são aquelas que se assemelham a Ele, que foram recriadas nEle, para serem conformadas a imagem dEle (Rm 8.29). O que torna uma mulher bonita e admirável é a vida de Deus que foi gerada nela através da obra regeneradora do Espírito Santo e que se manifesta por meio da pureza, expressada em sua maneira de se vestir, como trata as pessoas, nos relacionamentos, na obediência aos mandamentos do Senhor, na maneira como se comporta com os homens, na forma de falar e em todos os aspectos da sua existência.” (Sonaly Soares)

Podemos tratar de forma pratica agora, exemplificando algumas roupas, como mini saias, mini biquinis, grandes decotes, ou roupas em geral, que não cumpram a sua função principal que é cobrir. Mostrar uma parte o todo de lugares que só devem ser conhecidos por seu marido é errado, o intuito dessas roupas é meramente sexual, a exemplo da mini saia que foi criada pela Mary Quant, ela diz que “Foi com o propósito de tornar o sexo mais disponível… Mini roupas são uma marca daquelas garotas que querem seduzir um homem”. Chamo a atenção de vocês, para Isaías 47:2,3, a Babilônia retratada como uma mulher que se exibe: “Toma a mó, e mói a farinha; remove o teu véu, descalça os pés, descobre afinal as pernas e passa os rios. A tua vergonha se descobrirá, e ver-se-á o teu opróbrio; tomarei vingança, e não pouparei a homem algum”. Vestir-se de forma moderada nunca vai indicar que nos vestiremos de forma brega, ou feia, e sim com elegância, se vestir bem, nunca vai ser o mesmo que se vestir de forma provocante. Nós, certamente devemos seguir os Puritanos em sua preocupação com a moderação no vestir, porque esta é uma exigência Bíblica, tanto para o século 17, quanto para o século 21.

Soli Deo Gloria.

***
Autora: Rebeka França
Fonte: Donna Charada
Via: UMP da quarta

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

ANIVERSÁRIO DA UMP DA IP FILADÉLFIA




Graças ao nosso bom Deus por mais um aniversário da UMP da IP Filadélfia> A União de Mocidade Presbiteriana foi organizada em 2009.  Na ocasião tivemos como pregador o Rev. Mariano.
O pastor Mariano Alves se expressou dizendo "Agradeço ao Conselho e aos jovens pelo convite para ministrar a palestra nesta ocasião. Bênção pura!!!"


 




 






10 de razões pelas quais estamos perdendo nossos jovens


 Por Marc Yoder  

Todos nós sabemos quem eles são: as crianças criadas na igreja. Eram as estrelas do grupo de jovens. Talvez tenham cantado na equipe de louvor ou lideraram o culto. E então… eles terminam o ensino médio e saem da igreja. O que aconteceu?


Isso parece acontecer com tanta frequência que eu quis descobrir mais sobre isso, falar com esses jovens e obter algumas respostas honestas. Eu trabalho em uma cidade principalmente universitária, cheia de jovens em seus 20 anos. Grande parte deles foram criados em típicas igrejas evangélicas. 
Quase todos eles saíram da igreja sem intenção de voltar. Eu gasto algum tempo com eles e é preciso muito pouco para fazê-los desabafar, e eu fico feliz em ouvir. Então, depois de muitas horas gastas em cafeterias e depois de pagar alguns almoços, aqui temos os pensamentos mais comuns obtidos através dezenas de conversas. Espero que alguns deles te façam ficar com raiva. Não com a mensagem, mas com o fracasso do nossa substituição pragmática do evangelho da cruz pelo evangelho da glória americanizado. Isso não é um texto negativo de “paulada na igreja”. Eu amo a igreja, e quero ver o evangelicalismo Americano se voltar ao Evangelho de arrependimento e fé em Cristo para o perdão de pecados; não apenas como algo na página “em que cremos” do nosso website, mas como o cerne do que pregamos dos nossos púlpitos para as nossas crianças, nossos jovens e nossos adultos.
Os fatos
As estatísticas [N.T.: referentes aos Estados Unidos, país do autor] são assustadoras: 70% dos jovens param de frequentar a igreja quando terminam o ensino médio. Quase uma década depois, cerca de metade desses retornam à igreja.
Metade.
Pense um pouco nisso.
Não há uma forma fácil de dizer isso: a igreja evangélica americana perdeu, e está perdendo, a certamente irá continuar perdendo, NOSSOS JOVENS.
Apesar de toda a conversa de “nosso melhor recurso”, “nosso tesouro”, e das multimilionárias imitações do Starbucks que construímos e das bandas de rock que tocam nelas… a igreja está deixando os jovens na mão.
Terrivelmente.
O top 10 de razões pelas quais estamos perdendo nossos jovens:
10. A igreja é “Relevante”

Você não leu errado, eu não disse irrelevante, eu disse RELEVANTE. Nós pegamos a fé histórica, 2 mil anos de fé antiga, a vestimos de xadrez e calças jeans skinny e tentando vender isso como “legal” para nos nossos jovens. Isso não é legal. Isso não é moderno. O que estamos entregando é uma imitação barata do mundo que fomos chamamos para evangelizar.
Como diz o ditado, “Quando o navio está no mar, está tudo bem. Quando o mar entra no navio, aí você tem problemas”.
Não estou me queixando sobre “mundanismo” como um bicho-papão pietista, eu estou falando do fato que nós bocejamos por causa da leitura de um texto bíblico de 5 minutos, mas quase tropeçamos ao correr para bajular uma subcelebridade ou atleta qualquer que faz alguma vaga referência sobre ser cristão.
Nós somos como bajuladores em potencial, apenas esperando que o mundo ache que nós somos legais também, tipo como vocês são, cara!
Nossos jovens conhecem o mundo real e a nossa pose de “olhe como somos legais como você” é facilmente ridicularizada. Em nosso esforço para ser “como eles” nós nos tornamos menos do que realmente somos. O pastor de meia idade tentando parecer que tem 20 e poucos não é relevante. Vista-o com calça jeans skinny e bote na sua mão um café, não faz diferença. Isso não é relevante, é comicamente clichê. No momento em que você tenta ser “autêntico”, você não é mais autêntico!
9. Eles nunca frequentaram uma igreja, para começo de conversa

De um berçário com tema de Arca de Noé, para um painel eletrônico de estádio de futebol no acampamento das crianças, das noites de pizza aos shows de rock, muitos jovens evangélicos foram mimados em uma estufa nem-tanto-igreja, mas nem-tanto-mundo. Eles nunca se sentaram em um banco de igreja entre pais de primeira viagem com um bebê agitado e um idoso com um cilindro de oxigênio. Eles não veem o caminho completo do evangelho por todas as fases da vida. Em vez disso, nós silenciamos a mensagem, aumentamos o volume do som e agimos surpresos quando…
8. Eles ficam espertos

Não é que nossos estudantes “ficam mais espertos” quando saem de casa, o que ocorre é que alguém os trata como sendo inteligentes. Em vez do nosso emburrecimento da mensagem, os agnósticos e ateus tratam nossos jovens como inteligentes e desafiam seu intelecto com “pensamentos profundos” de questionamentos e dúvidas. Muitas dessas “dúvidas” tem sido respondidas, em grande profundidade, ao longo dos séculos de nossa fé. No entanto…
7. Nós os enviamos desarmados
Sejamos honestos, a maioria das nossas igrejas está mandando jovens ao mundo vergonhosamente ignorantes de nossa fé. Como não poderia ser assim? Nós abandonamos o ensino básico das escolas dominicais, vendemos a atitude de “menos doutrina, mais atitude” e os incentivamos a começar a busca para encontrar “o plano de Deus para a vida deles”. Sim, eu sei que nossa igreja tem uma página de “em que cremos” no nosso site, mas é isso mesmo que tem sido ensinado e reforçado no púlpito? Eu tenho conhecido líderes de igreja evangélica (“pastores”) que não sabem a diferença entre justificação e santificação. Já conheci membros de conselho de mega-igrejas que não sabiam o que é expiação. Quando escolhemos líderes baseados em suas habilidades de atrair e liderar pessoas ao invés de ensinar a fé com precisão… Bem, nós não ensinamos a fé. Surpreso? E em vez da fé histórica e ortodoxa…
6. Nós damos porcaria como alimento
Você deu o seu melhor para transmitir a fé interior/subjetiva que você “sente”. Você realmente, realmente, quer que eles “sintam” isso também. Mas nunca fomos chamados a evangelizar nossos sentimentos. Você não tem como passar adiante esse tipo de fé subjetiva. Sem nada sólido para basear sua fé, sem nenhum credo histórico para amarrá-los a séculos de história, sem os elementos físicos do pão, vinho e água, a fé deles está em seus sentimentos subjetivos, e quando confrontados por outras formas de se “sentir bem” propostas pela faculdade, a igreja perde para outras coisas com um apelo muito maior à nossa natureza humana. E eles encontram isso na…
5. Comunidade
Você percebeu que essa palavra está por TODO LADO na igreja desde que a igreja seeker-sensitive e outros movimentos de crescimento da igreja entraram em cena? (Há uma razão e uma filosofia motriz por trás desses movimentos que está fora do escopo desse artigo). Quando nossos jovens saem de casa, eles deixam a comunidade de manufatura na qual passaram toda a sua vida. Com a sua fé como algo que eles “fazem” em comunidade, eles logo descobrem que podem experimentar “mudança de vida” e “melhoria de vida” em “comunidade” em vários contextos diferentes.
Misture isso com uma fé pragmática e subjetiva, e a centésima edição de festa com pizza na mega-igreja local não tem como competir contra escolhas mais fáceis e mais naturalmente atraentes de outras “comunidades”. Assim, eles saem da igreja e…
4. Eles encontram sentimentos melhores

Ao invés de uma fé externa, objetiva e histórica, nós estamos dando aos nossos jovens uma fé interna e subjetiva. A igreja evangélica não está ensinando os catecismos ou os fundamentos da fé aos nossos jovens, nós estamos simplesmente incentivando-os a “serem gentis” e “amarem Jesus”. Quando eles saem de casa, percebem que podem ser “espiritualmente realizados” e ter os mesmo princípios subjetivos de auto-aperfeiçoamento (e sentimentos quentinhos) de algum guru de autoajuda, de gastar tempo com amigos ou fazendo trabalho voluntário em algum abrigo. E eles podem ser verdadeiramente autênticos, e eles podem ter essa chance porque…
3. Eles estão cansados de fingir
No melhor do “sua melhor vida agora”, “todo dia é sexta-feira” do mundo evangélico, há um pouco espaço para depressão, conflito ou dúvidas. Deixe esse semblante de chateação, ou saia daqui. Jovens que estão sendo alimentados com uma dieta estável de sermões destinado a remover qualquer coisa (ou qualquer pessoa) que pragmaticamente não obedece ao “Maravilhoso plano de Deus para a sua vida” e são forçados a sorrir e, como uma antiga música os encoraja, a “baterem palmas” para isso o tempo todo. Nossos jovens são espertos, muito mais espertos do que acreditamos. Então eles proclamam uma mensagem que escutei bastante desses jovens “A igreja está cheia de hipócritas”. Por quê? Porque apesar de que nunca lhes tenha sido ensinado sobre a lei ou sobre o evangelho…
2. Eles conhecem a verdade
Eles não conseguem fazer isso. Eles sabem disso. Todo aquele moralismo de “seja gentil” que eles foram ensinados? A Bíblia tem uma palavra para isso: Lei. E é disso que nós os alimentados, diretamente, desde que os deixamos no berçário da Arca de Noé: Faça/ Não Faça. Quando eles ficam mais velhos começa o “Crianças de Deus fazem/ não fazem”, e quando adultos, “faça isso ou aquilo para ter uma vida melhor”. O evangelho aparece brevemente como algum “faça isso” para “ser salvo”. Mas a dieta deles é a Lei, e a escritura nos diz que a lei nos condena. Então, sabe aquela sorridente declaração de fé “ame a Deus e ame as pessoas”? Sim, você acabou de condenar os jovens com isso. Legal, né? Ou eles pensam que são “pessoas boas”, já que não “fazem” nenhuma das coisas que a sua denominação ensina que não pode fazer (beber, fumar, dançar, assistir filmes adultos), ou eles percebem que eles não atingem as próprias palavras de Jesus sobre o que é necessário. Não há descanso nessa lei, apenas um trabalho árduo que eles sabem que não estão aptos a cumprir. Então, de qualquer forma, eles abandonam a igreja porque…
1. Eles não precisam dela

Nossos jovens são espertos. Eles entenderam a mensagem que nós ensinamos, inconscientemente. Se a igreja é simplesmente um lugar para aprender ensinamentos de vida que os leva para uma vida melhor em comunidade… você não precisa de um Jesus crucificado para isso. Por que eles deveriam acordar cedo no domingo para ver uma imitação barata do entretenimento que eles viram na noite anterior? O pastor de meia idade tentando desesperadamente ser “relevante” para eles, seria engraçado se não fosse trágico. Como nós descartamos o evangelho, nossos estudantes nunca são atingidos pelo impacto da lei, dos seus pecados diante de Deus, e da sua necessidade desesperada da obra expiatória de Cristo. Certamente, ISSO é relevante, ISSO é autentico, e ISSO é algo que o mundo não pode oferecer.

Nós trocamos um evangelho histórico, objetivo e fiel baseado na graça de Deus dada a nós por um evangelho moderno, subjetivo e pragmático baseado em atingir nossos objetivos ao seguir estratégias de vida. Ao invés de sermos fiéis à tola simplicidade do evangelho da cruz, temos estabelecido como objetivos o “sucesso” de uma multidão crescente alcançada com esse evangelho de glória. Esse novo evangelho não salva ninguém. Nossos jovens podem marcar todos os itens de uma lista de autoajuda ou simplesmente um espiritualismo auto concebido… e eles podem fazer isso com mais sucesso pragmaticamente e em uma comunidade mais relevante. Eles saem porque, lhes dada a escolha, com a mensagem que ensinamos a eles, é a escolha mais inteligente.
Nossos jovens saem porque nós não conseguimos entregar-lhes a fé “que uma vez por todas foi entregue” à igreja. Eu gostaria que não fosse óbvio assim, mas quando eu apresento a lei e o evangelho para esses jovens, a resposta é a mesma de sempre: “eu nunca ouvi sobre isso”. Eu não sou contra entreter os jovens, nem mesmo painéis eletrônicos ou festas com pizza (apesar de que provavelmente eu seja contra caras de meia idade vestindo uma calça justa para ser “relevante”). É apenas que aquela coisa, a PRINCIPAL coisa que nos foi incumbida? Nós estamos falhando. Nós falhamos com Deus e falhamos com nossos jovens. Não deixe outro jovem sair pela porta sem ser confrontado com todo o peso da lei, e com toda a liberdade do evangelho.


***
Traduzido por Marianna Brandão no iPródigo.com 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...