sábado, 12 de novembro de 2016

IGREJAS PRESBITERIANAS AMERICANAS PAGAM MILHÕES DE DÓLARES PELO DIREITO DE PREGAR JESUS


Partilhar


Dezenas de igrejas cortaram ligações com a “Igreja Presbiteriana dos EUA (PCUSA, siglas originais em inglês)”, a maior denominação tradicional dos Estados Unidos da América. O motivo deu-se em 2012, meses depois que foi aceito pela denominação, a prática homossexual entre os membros e pastores.

Por esse motivo surgiu o “Evangelical Covenant Order of Presbyterians – Pacto Evangélico da ordem dos Presbiterianos – ECO), composta pelas antigas congregações de PCUSA, aproximadamente 20.000 igrejas dos EUA.

O que chama a atenção é que nos últimos meses as megas igrejas presbiterianas querem se desligar da PCUSA para poder pregar o Evangelho com liberdade e contra o casamento gay. Por esse motivo, enfrentam ameaças de perder seus templos. Portanto, os pastores estão levantando uma fortuna para entregar a PCUSA o título de “compensação”.

No início de 2016, Menlo Park Presbyterian Church, com sede em São Francisco, Califórnia, liderada pelo pastor e autor John Ortbeg, pagou aproximadamente 9 milhões de dólares pelo templo construídos a mais de um século. Igualmente acontecerá com a Igreja Presbiteriana de Highland Park, Dallas, Texas, que pagarão mais ou menos de 8 milhões de dólares.
“Depois de um longo processo, buscamos a vontade de Deus para este assunto, entendemos que fizemos o melhor que pudemos neste momento”, disse um dos líderes da igreja.

A maioria das igrejas que deixaram a denominação, usaram como justificativa, a postura liberal adotada pela PCUSA, porque seus líderes não creem em Jesus como divindade, nem sustentam que a salvação vem somente através de Cristo.

Esta situação tem chamado a atenção, já que são uma instituição que foram um baluarte dos valores bíblicos, fundando alguns dos seminários de maior prestigio no mundo, e agora enfrentam uma deserção em massa. O inacreditável é que as igrejas estão pagando fortunas para recuperar sua liberdade de pregar o Evangelho Bíblico, proclamar Jesus como salvador e opor-se al casamento homossexual.

A pressão e as ameaças não vem de outros grupos religiosos ou do governo, são dos próprios líderes. Um verdadeiro eco em menor escala comparado ao que aconteceu com outras denominações como Igreja Episcopal Anglicana, Igreja Unida de Cristo, Igreja Metodista e Igreja Luterana dos EUA, entre outras. Estes movimentos começaram com o argumento da necessidade cultural de ser “politicamente correto” e ler as Escrituras a partir das culturas.

É importante destacar que PCUSA, tem congregações presbiterianas em diferentes países, mas esclarecem que não tem nenhuma ligação com a Igreja Presbiteriana do Brasil ou Igreja Presbiteriana Independente.

***
Traduzido por Jonara Gonçalves no Consciência Cristã

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...