sábado, 2 de janeiro de 2016

O que fazer no primeiro dia do ano?


Por Renato Vargens

Nestes últimos dias tenho me dedicado a estudar sobre o vida do grande pregador britânico George Whitefield. Confesso que o testemunho de vida desde homem de Deus em muito tem me abençoado. 

Como hoje  é o primeiro dia de 2016, portanto, quero compartilhar com os irmãos uma bela experiência ocorrida com este grande pregador no dia 01 de janeiro de 1739. 

"Em primeiro de Janeiro de 1739, John e Charles Wesley, Juntamente Whitefield, Hinhan, Hall e Kinchin, reuniram-se com a pequena sociedade morávia em Fetter Lane, e começaram com orações públicas o ano novo, que se tornou propicio a uma avivamento espiritual. Essa reunião foi um verdadeiro pentecostes, conforme disse Whitefied. Cinco dias depois reuniram-se novamente a fim de conferenciarem entre si o que devia ser feito nas graves circunstâncias em que se achavam. Consagraram o dia ao jejum e oração e separaram-se, levando cada um consigo, segundo as palavras de Whitefield, a plena convicção de que Deus estava para fazer grandes coisas no meio deles."

Caro leitor, nesse mesmo ano, os irmãos Wesley e George Whitefield, deram inicio a algo que mudou a Inglaterra.  Neste tempo por pregar todo Conselho de Deus, as portas da Igreja Anglicana se fecharam a estes notáveis homens, levando-os a fazerem algo até então inusitado. 

Em 17 de fevereiro de 1739, Withefield pregou para 200 mineiros o Evangelho da salvação Eterna. Na sua segunda visita havia dois mil ouvintes, na terceira, entre quatro e cinco mil,  até que chegassem ao impressionante número de 20 mil pessoas.  A História conta que os ouvintes do pregador choravam copiosamente entregando suas vidas ao Criador.

Prezado amigo, uma reunião de oração no primeiro dia do ano moveu os céus. Deus pela sua graça tanto se agradou dos clamores feitos naquele lugar que respondeu com salvação e avivamento.

Hoje, primeiro de janeiro de 2016, gostaria de incentivá-lo a juntamente com sua igreja a clamar ao Senhor por misericórdia, quem sabe ele nos ouve, e muda a história da igreja evangélica brasileira, reconduzindo-nos a um único e genuíno avivamento.

Pense nisso!

Renato Vargens

04 razões porque a igreja brasileira está lotada de falsos convertidos




De norte a sul, de leste a oeste, em todo Brasil encontramos milhões de pessoas frequentando as igrejas evangélicas, contudo, ouso afirmar que boa parte daqueles que participam de nossos ajuntamentos, não foram regenerados pelo Espírito de Deus, nem tampouco se converteram ao Senhor. Na verdade, um número incontável  de "evangélicos" podem ser catalogados no rol dos falsos convertidos, isso porque, os seus testemunhos não condizem com sua fé, o que por si só nos fazem ruborizar de vergonha. Senão bastasse isso,  é absolutamente perceptível a ausência de frutos e arrependimento entre os chamados evangélicos, visto que a fé professada por esses não tem redundado em mudança de comportamento e vida.

Diante desse triste diagnóstico surge a pergunta: Por que nossas igrejas estão lotadas de inconversos? Quais são as razões para isso? Ora, não quero ser simplista em minha resposta, todavia, gostaria de elencar pelo menos 04 razões para isso:

1-) Abandonamos a pregação e a exposição das Escrituras. 

Lamentavelmente a igreja deixou de pregar a Palavra de Deus, preferindo anunciar um evangelho miscigenado, de conteúdo humanista e antropocêntrico, cujo objetivo final é a satisfação do cliente.

2-) Terceirizamos a liturgia, entregando na mão de músicos despreparados teologicamente a condução do culto.

No desejo de que a igreja cresça os pastores deixaram a direção do culto na responsabilidade de músicos e afins. O problema é que mediante canções estapafúrdias, bem como desprovidas de verdades bíblicas,  a teologia cantada aos poucos foi mudando o conteúdo do culto, levando a igreja a uma percepção absolutamente equivocada de quem seja Deus, como também as verdades fundamentais à fé cristã.

3-) A transformação do culto de louvor a Deus num culto de promoção de entretenimento.

A indústria do entretenimento tomou conta de inúmeras igrejas. Nessa perspectiva, pastores e lideres tem entendido que o culto a Cristo, precisa ser mais light, menos pesado, com uma pregação positiva, além é claro de proporcionar ao visitante a possibilidade de desfrutar de um ambiente com muita música, arte, teatro e shows. A conseqüência disso é que um numero enorme de pessoas,  não foram confrontadas pelo Evangelho, o que por conseguinte, não experimentaram a salvação em Cristo Jesus. ( para ler mais a respeito clique AQUI)

4-)  O critério usado para alguém se tornar  membro de nossas igrejas é raso, superficial, e inconsistente.`

O “evangelho” que temos pregado em nosso país tem contribuído para a inchação de nossas congregações, levando-nos a impressão de que este evangelho fashion é que faz a diferença no mundo em que vivemos.

Diante disso vale a pena perguntar: Será que as "portas de entrada" de nossas igrejas não estão escancaradas demais? Ora, não sei se você já percebeu, mas para se tornar membro de uma igreja local não precisa de muita coisa, não é mesmo? Basta o individuo "levantar sua mão, confessar Jesus", que tornar-se-á membro de uma igreja local, sem contudo que de fato tenhamos certeza de que nasceu de novo. 

Como já escrevi anteriormente penso que a  "catolização" dos evangélicos e a superficialidade de uma multidão de frequentadores de culto é um fator preocupante e que precisa ser tratado de forma firme por parte dos pastores brasileiros, até porque, se o não fizermos, experimentaremos em curto espaço de tempo o aparecimento de uma era pós-cristã.
Pense nisso!

Renato Vargens

Quando a moça que frequenta a igreja se comporta como "galinha"


Por Renato Vargens

Há pouco escrevi um texto sobre homens "galinha" (leiaaqui). 

Hoje, resolvi escrever sobre quando uma moça que frequenta a igreja e que  se comporta como "galinha."

Pois é, sejamos justos, se por um lado existem rapazes que comportam-se de forma equivocada "pegando" todo mundo, por outro, existem moças que se comportam da mesma maneira. 

Ora, vamos combinar uma coisa? O mundo comportar-se dessa forma e até compreensível, mesmo porque, as Escrituras nos ensinam que ele jaz no maligno. O que nos surpreende é ver esse tipo de comportamento na igreja. 

Confesso que tenho ficado abismado com algumas moças que influenciadas pelo feminismo e a liberação sexual se relacionam com vários parceiros no decorrer do ano. Nessa perspectiva tornou-se comum, encontrar "periguetes" nas igrejas cujo comportamento nos fazem ruborizar de vergonha. 

Caro leitor, acredito que os que se comportam desta maneira não nasceram de novo, até porque, as Escrituras nos mostram que todo aquele que foi regenerado pelo Espírito Santo anda em novidade de vida procurando assim agradar àquele que o redimiu e salvou. 

Isto posto, aconselho as moças que desenvolvem esse tipo de comportamento que procurem em Cristo a satisfação para a sua alma, até porque, nada nem ninguém, pode satisfazer o vazio existente no coração do homem.  Sugiro também aos rapazes que fujam deste tipo de relacionamento fugaz, que momentaneamente pode até trazer prazer e satisfação, mas, que no fim, produz profundas feridas na alma. E por fim, aconselho tanto rapazes como as moças a se guardarem no Senhor, esperando a hora certa, pra que com a pessoa certa possa dar inicio a um relacionamento saudável.

Verdadeiramente o "periguetismo" não convém a santos do Senhor.

É  que penso, é o que digo!

Renato Vargens

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

PASTOR PREGA PELA 1ª VEZ, APÓS TER SUA ESPOSA ASSASSINADA: `ESPERANÇA EM MEIO À DOR´





Pela primeira vez, desde que sua foi assassinada, durante um assalto em sua casa, o pastor Davey Blackburn pregou na última na semana, em um culto de sua igreja, em Indianápolis (EUA). Davey e Amanda Blackburn já tinham um filho pequeno e ela estava grávida, quando foi baleada pelo assaltante em sua própria casa, no dia 11 de novembro deste ano (2015).

Em sua mensagem compartilhada com sua congregação da Igreja Resonate, o pastor Blackburn confessou que chegou a sentir que os planos de Deus para a sua esposa e seu casamento haviam "sido frustrados", mas hoje entende que Amanda Blackburn está vendo o cumprimento de todas as promessas divinas em sua vida. 

"Esperança em meio à dor", ele disse à congregação. "Você não acha que eu disse a Deus: 'Deus eu sinto que suas promessas, os sonhos que você colocou no meu coração sobre Amanda... eu sinto que eles falharam'. Você não acha que eu disse isso? Amanda era uma das pessoas mais justas e piedosas que eu já conheci. [...] E ela está sendo abençoada por causa disso".

"Amanda experimentou [dessas promessas] e está passando por cada uma delas. Ela era justa e eu acredito que também era muito favorecida [por Deus]", disse Blackburn.


O pastor também confessou que muitas vezes se sente como como se ele estivesse em uma viagem sem volta para casa.
"Minha mente passa por essa progressão em voltar para casa, então eu percebo que eu não tenho uma casa, porque Amanda era a minha casa. Isso dói", disse ele.

"Às vezes eu sinto como se alguém pegasse a minha cabeça e a afogasse cada vez mais. Eu não tenho fôlego dentro de mim e eu me machuco tão profundamente e eu não poder respirar debaixo d'água e, ainda, por apenas um minuto, talvez uns dois dias, horas. Mas eu recebo este fôlego, eu sinto essa esperança. Eu também acredito que Amanda está entre os mártires. Sabe por quê? Porque ela e eu nos mudamos para nos aproximarmos de pessoas como estas pessoas que as mataram".

Davey Blackburn disse que ainda tem esperanças, mesmo sobre os homens acusados de matar sua esposa.

"E se esses três caras acabam encontrando Jesus com isso? Você já imaginou?", disse em sua mensagem.

Apesar de sua pregação na última quarta-feira, pastor Davey ainda deve ter mais um tempo de descanso, dado por sua igreja, em razão da sua terrível perda.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...