quinta-feira, 16 de julho de 2015

POSTAR VERSÍCULOS NAS REDES SOCIAIS AGORA É CRIME NA NOVA ZELÂNDIA



A Nova Zelândia criminalizou o cyberbullying. A nova lei é abrangente e se aplica em mensagens de teor racista, sexista, homofóbico, que envolvam críticas a uma deficiência física ou a uma religião.

Quem for considerado culpado, pode pegar até dois anos de prisão. Se comprovadamente ocorrer um suicídio por conta de mensagens eletrônicas, a pena mínima passa a ser três anos.
Dependendo do tipo de ofensa, a vítima pode pedir reparação e então serão aplicadas multas que podem chegar a U$ 134.000 (aproximadamente R$400 mil).
O cyberbullying já era proibido no país, mas agora passou a ser considerado crime. Sempre será punido caso seja constatado que causaram “aflição emocional grave” à vítima.

A partir dos 14 anos, a pessoa já terá de responder pelas declarações nas redes sociais, comentários em sites ou pelo “vazamento” de fotos e vídeos.  Uma nova agência digital montada pelo governo terá como responsabilidade analisar as denúncias de casos de cyberbullying.

Foram assinados protocolos de cooperação com as principais redes sociais, como Facebook e Twitter, que irão disponibilizar o acesso às mensagens de eventual caráter criminoso desde que o mesmo seja feito dentro de um período de 48 horas. Até agora esse tinha sido o maior empecilho uma vez que a pessoa apagava a mensagem e com isso a prova “sumia”.

Analistas internacionais acreditam que esse tipo de controle deve ser adotado por outros países num futuro próximo.

Mensagem nas “entrelinhas”

Mesmo que a medida tenha recebida ampla aceitação popular, grupos cristãos alertam que os termos da lei são muito “amplos”, o que pode criminalizar o simples compartilhamento de um versículo.

Se um muçulmano se sentir ofendido com uma mensagem sobre somente Jesus levar ao céu ou um homossexual tiver os sentimentos feridos por alguém classificar sua opção como “pecado”, ou insinuar que ele terá punição divina, um processo já pode ser aberto.

Por enquanto o governo neozelandês não fez menção de alterar os termos da lei, o que poderá gerar uma série de problemas legais para quem manifesta a fé bíblica na internet.


Namorados que se masturbam cometem pecado?

Por Renato Vargens


Eu nunca fui para a cama com o meu namorado. Nós não fazemos sexo com penetração, o problema é que as vezes nós nos masturbamos por acaso será isso um pecado? 

Por mais incrível que possa parecer essa tem sido a pergunta de muitos jovens cristãos. Na verdade, nossas igrejas estão repletas de jovens que masturbam-se mutuamente acreditando que com isso não estão pecando contra Deus. Eu mesmo já ouvi algumas pessoas dizendo que se não houver penetração, vale qualquer coisa. 

Caro leitor, ainda que as Escrituras em nenhum momento trate da masturbação, por razões claras e obvias todos aqueles que se masturbam pecam contra o Senhor, isto porque,  a prática de estimular o próprio órgão sexual ou do namorado afronta o padrão de moralidade e decência estabelecido pelo Criador. Ora, a Bíblia é extremamente clara em afirmar que o prazer do sexo pertence exclusivamente aos casados e que aqueles que desfrutam de relacionamentos sexuais fora do casamento pecam contra Deus.

Outro fato importante é que nunca soube de ninguém que se masturbasse sem que contudo cobiçasse  outra pessoa.

Prezado amigo, cobiçar o namorado ou a namorada constitui pecado e imoralidade. Se não bastasse isso, o namorado que estimula sexualmente a namorada e vice-versa, defrauda o seu irmão em Cristo tomando para sim algo que ainda não lhe pertence.

Isto posto, afirmo sem titubeios que toques, intimidades e liberdades sexuais segundo as Escrituras é um direito exclusivo dos casados, portanto, se você é daqueles que ultrapassa os limites estabelecidos por Deus em sua Palavra,  desobedece as orientações do Senhor trazendo sobre si a condenação.

Veja abaixo alguns versos bíblicos que tratam sobre a imoralidade sexual:

"...mas, por causa da imoralidade, cada um deve ter sua esposa e cada mulher o seu próprio marido." 1 Coríntios 7:2

"Entre vocês não deve haver nem sequer menção de imoralidade sexual como também de nenhuma espécie de impureza e de cobiça; pois essas coisas não são próprias para os santos."Efésios 5:3

"Assim, façam morrer tudo o que pertence à natureza terrena de vocês: imoralidade sexual, impureza, paixão, desejos maus e a ganância, que é idolatria." Colossenses 3:5

"Também não se arrependeram dos seus assassinatos, das suas feitiçarias, da sua imoralidade sexual e dos seus roubos." Apocalipse 9:21

"Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos,, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus." 1 Coríntios 6:9-10

"Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem..." Gálatas 5:19

"Entre vocês não deve haver nem sequer menção de imoralidade sexual como também de nenhuma espécie de impureza e de cobiça; pois essas coisas não são próprias para os santos. Não haja obscenidade, nem conversas tolas, nem gracejos imorais, que são inconvenientes, mas, ao invés disso, ações de graças. Porque vocês podem estar certos disto: nenhum imoral, ou impuro, ou ganancioso, que é idólatra, tem herança no Reino de Cristo e de Deus." Efésios 5:3-5

"A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual. Cada um saiba controlar o seu próprio corpo de maneira santa e honrosa..."1 Tessalonicenses 4:3-4

“Amados,peço-vos, que abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma; Tendo o vosso viver honesto entre os gentios; para que glorifiquem a Deus pelas obras que em vós observem” (1 Pe 2:11)

Renato Vargens

terça-feira, 14 de julho de 2015

'MENINA PASTORA', HOJE, ESTUDA FÍSICA E É PROFESSORA


Influenciada pelo pai, Ana Carolina começou a pregar aos 3 anos de idade. Aos 7 anos, ele foi filmada pregando em um culto evangélico, e então, o video virou viral.
As pessoas presentes vibravam com as palavras: "Maravilhoso! Conselheiro! Deus forte! Pai da eternidade! E príncipe da paaaaaaz!"

O video ganhou uma versão funk e com tanto sucesso, Ana Carolina participou do program de Raul Gil, na época na Record, e apareceu em um documentário da BCC sobre crianças pregadoras.

Hoje, Ana Carolina tem 21 anos e estuda física na Universidade Federal Rural do Rio, estagia em uma escola de crianças especiais e dá aula em um cursinho pré-vestibular. Já não prega em igrejas, ainda que não deixou de ser evangélica e faz parte do movimento Escolhi Esperar.

"Sofri muita crítica quando criança. As pessoas diziam que não seria uma pessoa normal", disse em entrevista à Folha de S.P."Mas sou prova de que isso não atrapalha a vida de ninguém. Consegui o que queria e continuo fazendo a obra de Deus."

Em entrevista ao Jornal Extra ela diz que ensinar física não "vai mudar em relação ao que eu penso de Deus. A física é, para mim, um instrumento e uma ratificação daquilo que eu acredito".

Abaixo está o vídeo de Ana aos 7 anos:



Com informações Brasil Post

Qual o sonho da “geração smartphone”?

Ser feliz. Ficar rico. Morar em outro país. Em princípio, uma dessas opções pode parecer o principal desejo de todo jovem, mas não é. Pelo menos de acordo com a pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha, sob encomenda do jornal Folha de São Paulo. Segundo o estudo, a maior aspiração dos jovens brasileiros de 16 a 24 anos é alcançar a profissão dos sonhos. O levantamento foi feito em 175 municípios, ouviu 1.036 jovens de um total de 2.437 pessoas.

A pesquisa do Datafolha delineou o perfil da geração chamada por especialistas de “nativa digital” ou “geração smartphone”, identificando que pessoas de 16 a 24 anos ficam on-line, em média, nove horas por dia e a maioria é pelo celular (78% têm seu próprio smartphone). Ouvir música é a atividade mais comum, seguida por compartilhar fotos em redes sociais, acessar notícias e, por último, assistir vídeos no Youtube.

Outra pesquisa foi um pouco mais afundo e apontou a mesma tendência sobre a juventude, no que se refere à profissão. O projeto Sonho Brasileiro realizado pela BOX1824 – uma empresa de pesquisa global focada no mapeamento de tendências e comportamentos –, identificou que 55% dos sonhos individuais dos jovens estão ligados à formação profissional e emprego. Dentre estes, 24% almejam a profissão dos sonhos. A pesquisa “Sonho Brasileiro” buscou identificar as tendências de comportamentos da atual geração entre 18 e 24 anos e o seu sonho para o país.

Embora não neguem as questões funcionais do trabalho, como dinheiro e estabilidade, muitos jovens buscam no emprego a realização pessoal. Um enorme desafio a ser concretizado quando o Brasil registra a maior taxa de desemprego (8,1%), no trimestre referente a dezembro de 2014 a fevereiro de 2015. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são mais de 8 milhões de brasileiros desempregados.

Qual a saída para uma geração que está buscando no trabalho muito mais que retorno e estabilidade financeira? A edição nº 355 da revista Ultimato pode oferecer algumas pistas. A matéria de capa, sobre “Vocação e Juventude”, aponta a falta de perspectiva de muitos jovens para sustentar a vida e destaca a importância do jovem buscar compreender a sua vocação e, assim, entender melhor o seu papel no mundo.

Na matéria de capa, além de poder extrair alguns princípios importantes para cumprir sua vocação a partir da vida de José – um jovem que tinha consciência do seu chamado –, Ultimato traz ao leitor um infográfico que apresenta os muitos diferentes aspectos da vocação e mostra o ponto de partida para o jovem descobri-la. 

Falando sobre a visão cristã do trabalho na coluna “Ética”, Paul e Raphael Freston dizem que é preciso experimentar o trabalho como um dom de Deus, que traz significado e gratificação. “O trabalho socialmente útil não basta”, enfatizam. E foi isso que a pesquisa “Sonho Brasileiro” constatou. Além do retorno financeiro e a satisfação pessoal, o jovem busca fazer diferença na sociedade através da sua profissão. Mas para essa efetiva ressignificação do trabalho, que vai além do utilitarismo, a “geração smartphone” precisa se conectar com Deus e resgatar os princípios bíblicos do trabalho. Só assim, o jovem poderá desenvolver seu papel no mundo com dignidade e desfrutar da honra e alegria de exercitar seus talentos.

Folha de São PauloConservadora ou contraditória?
A pesquisa do Datafolha também revelou outras características curiosas sobre o perfil dos jovens. A geração que assimilou tão rapidamente as novas tecnologias digitais está sendo considerada por alguns como “careta” e “conservadora”, por causa do seu posicionamento em relação a temas como sexo, aborto e homossexualidade.

Os resultados mostram que a maioria dos jovens aceita como moralmente certo o sexo antes do casamento e o comportamento homossexual, mas condena a visualização de vídeos pornográficos – 44% acham moralmente certo o sexo entre pessoas que não são casadas, 29% discordam; 36% acham certo o comportamento homossexual, 30% discordam; 51% julgam errado assistir vídeos pornográficos. Também aumentou entre os jovens a aceitação do aborto e da maconha, mas a porcentagem dos que são contra continua alta: 79% afirmam que o aborto é inaceitável e 67% acham que é moralmente errado fumar maconha.

Outro dado interessante é que os jovens valorizam a família, mas rejeitam o casamento. Entre os 10 itens listados como os mais importantes, o casamento ficou em último lugar. Sair de casa e abdicar do aconchego e segurança dos pais para encarar o desafio de constituir a própria família é uma escolha feita cada vez mais tarde. Na classificação, saúde, família, trabalho e estudo foram considerados os itens mais importantes para os jovens, até mesmo à frente de quesitos como amigos, sexo e beleza.

Utopias, pragmatismo e transformação
Já a pesquisa “Sonho Brasileiro” revelou que o jovem não só aponta os problemas do país, mas enxerga e se envolve em maneiras possíveis de atuação para transformar a realidade. Dentre os meios pelos quais a juventude acredita que podem surgir mudanças, estão: agir com honestidade no dia-a-dia (56%) e aproveitar as oportunidades que o Brasil oferece (30%).

É uma geração que une sonho e pragmatismo. Enxerga a si mesma como sonhadora (35%), mas não pensa em grandes transformações estruturais, como gerações de décadas passadas, e sim em pequenas mudanças na realidade do dia-a-dia. Acreditam que ações cotidianas de honestidade ajudam a combater a corrupção, por exemplo, e não depositam suas expectativas em instituições formais para transformação da sociedade.

Na pesquisa “Sonho Brasileiro” foram identificados indivíduos denominados de “jovem-ponte”. Segundo o estudo, é o sujeito que transita por mais grupos distintos que a média das pessoas (3 ou 4 grupos), recolhendo referências a partir das quais amplia sua visão de mundo. Além de redefinir seu próprio pensamento, o jovem passa a difundir essas ideias e estabelecer redes de diálogos entre grupos que não se falariam espontaneamente.

Três características principais do “jovem-ponte” são: a hiperconectividade, o não dualismo e as microrrevoluções. Ao invés de polarizar, essa geração integra ideias e conceitos, antes colocados em oposição. Valorizam a possibilidade de transitar e participar de projetos diversos, tendo flexibilidade para atuar de formas mais pontuais e se conectar com o máximo possível de frentes em que acreditam.

Equipe Editorial Web
  • Textos publicados: 604 [ver]
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...